Resenha: Cart

. 0 Comentários .
In Filme
 Assisti esse filme Domingo, mas só hoje que pude trazer a Resenha, mesmo assim ele ainda estar bem fresquinho na minha cabeça. Nunca tinha visto nenhum filme que falasse sobre Greve e Cart soube mostrar bem como é uma, sem que o enredo ficasse chato, pelo contrário ele conseguiu prender atenção até o final. Se fosse resumi-lo em uma só frase seria, “Um filme cheio de mulheres fortes que estão lutando pelos seus direitos”.

Nome: Cart ou Ka-teu
País: Coreia do Sul
Ano: 2014
Duração: 110 min
Gênero: Drama, Família e Baseado em fatos reais.
Nota: 9,8
Sinopse: Sun-Hee (Yum Jung-Ah) é uma mãe de dois filhos. Ela já trabalhou como uma contratada pra uma grande loja de desconto nos últimos 5 anos. Sun-Hee foi prometida várias vezes que ela seria promovida a um funcionário regular em tempo integral. Hye-Mi (Moon Jeong-Hee) é uma mãe solteira e trabalha com Sun-Hee como um trabalhador de contrato. Soon-Rye (Kim Young-Ae) trabalha como faxineira na mesma loja de desconto e também é uma trabalhadora de contrato. Um dia, os trabalhadores contratados ficam sabendo que eles serão demitidos. O pânico toma conta dos trabalhadores, mas Hye-Mi e Soon-Rye sugerem que eles formem uma união para lutar por seus direitos. Sun-Hee é nomeado com Hye-Mi e Soon-Rye para representar os trabalhadores contratados. A luta entre os trabalhadores contratados e gestão ocorre. Retirada do Subarashiis.

 

O foco principal de Cart é um foto real que aconteceu na Coreia do Sul em 2007, quando Caixas de um supermercado foram demitidas sem motivo algum e por conta disso fizeram greve. Gostei como o roteiro conseguiu desenvolver a historia mostrando de uma forma envolvente os conflitos das empregadas contra os patrões. Além disso, as personagens eram fortes e por mais que passassem dificuldades não desistiam dos seus direitos.
As injustiças que os empregados tem que aguentar, também foram abordadas na trama, fora que houve uma parte que mostrou como a mídia foi manipulada para favorecer a empresa. Entretanto, não pense que esse filme só irá ter Drama, pois o roteiro conseguiu de forma inteligente colocar algumas cenas de humor, afinal as personagens conseguiam ri mesmo estando em uma situação desfavorável. Se fosse colocar um defeito seria o final, embora tenha me deixado toda arrepiada, ainda assim deixou a desejar, esperava mais do que um final em aberto, certo que sabemos que tudo deu certo no fim, mas queria ver isso no filme.
Sun Hee  trabalha como funcionaria contratada por 5 anos, assim que consegue uma promoção para se tornar uma funcionaria efetiva, a empresa para cortar custos, resolve despedir as funcionarias contratadas, inclusive ela. Não querendo ficar de braços cruzados, suas duas colegas de trabalho,  Hye-Mi e Soon-Rye, resolvem reunir as funcionarias que serão despedidas e criam uma especie de sindicato para tentar dialogar com o dono, no entanto não conseguem nenhum retorno. Sem outra saída, elas começam vários movimentos para conseguirem os seus empregos de volta.

 

 
Sun Hee é uma personagem calma e meiga, difícil acreditar que conseguiu reunir força para participar do movimento de frente. Ela é mãe de um adolescente chamado, Tae Young que no começo não conseguia entender o que sua mãe estava fazendo, além dele, ela tem uma menina que passa mais tempo vendo TV do que fazendo outra coisa. Sun Hee era um pouco na dela, mas mesmo assim era leal aos amigos e gostei como ela conseguiu mudar um pouco ao decorrer da trama.

Hye Mi é mãe solteira e levava seu filho pequeno junto nas manifestações e vou te dizer, o filho dela era uma verdadeira gracinha. Decidida, dificilmente fraquejou na trama, só existia uma coisa que era seu tendão de aquiles, seu filho e ela poderia fazer qualquer coisa por ele.  Foi uma das personagens que mais gostei na historia, pois estava lá para lutar por ela e suas amigas

 

Soon Rye embora tivesse uma idade avançada era a mais valente da historia. Essa senhora deu um verdadeiro show, consegui sentir toda a emoção dessa personagem, acho que vai ser difícil esquecer uma cena em que a policia aparece e ela com todas as forças não queria se deixar levar ao ponto de passar mal. E mesmo depois desse incidente ela continuou firme na batalha.

Dong Joon era um funcionário efetivo e ele se preocupava com Soon Hye como se fosse um neto, entende? Achei bonito da parte dele, além disso, pode-se dizer que ele era contra a atitude da empresa desde o começo e quando alguns funcionários efetivos tiveram cortes no salario. Ele e os demais resolveram se unir ao movimento das Caixas e isso acarretou mais barulho a Greve. Depois de ter visto o ator sendo vilão em Goodby, mr Black, foi até difícil desassociar o personagem dele, mas acreditam que o filme conseguiu esse feito? Na historia, ele aparentava ser um funcionário honesto e amigável.

Companheirismo 
 
No filme vemos muito companheirismo, pois as personagens estavam unidas pelo mesmo ideal. Cada uma tinha uma historia e motivo para estar ali e elas se mostravam dispostas a se ouvirem. Além disso, como havia dito, mesmo estando em uma situação nada favorável, ainda conseguiam arrumar motivos para rirem entre si.
Conclusão
 
Esse é um filme que entrou na lista de favoritos,  sabe não tem para onde correr, você precisa assistir. O roteiro é envolvente e os personagens bem construídos, além de consegui trabalhar bem com um tema bem incomum. Ele conseguiu me envolver de uma forma que em algumas partes estava toda arrepiada.
Onde ver
 
Subarashii (Download)

Infelizmente não consegui achar imagens ou vídeos para fazer gifs e deixar o post mais bonito. Espero que mesmo assim vocês tenham gostado.

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply