1. 10 Coisas que espantam qualquer leitor de um blog
  2. 10 Motivos para assistir Abnormal Summit
  3. 10 Dicas para fazer uma boa Resenha
  4. 3 Decepções Literárias
  5. 4 Clichês que nunca perdem a graça
  6. 5 Coisas que viciados em Livros já deve ter passado
  7. 5 Comédias Românticas Que Fogem aos Padrões
  8. 5 Doramas para te encher de Fofura
  9. 5 Filmes coreanos para assistir nas férias.
  10. 5 Filmes de Época para se apaixonar
  11. 5 Motivos para assistir Re: mind
  12. 52 Filmes em 52 Dias: As Sufragistas
  13. 52 Filmes em 52 Semanas: Marathon
  14. 6 Motivos para ler Extraordinário
  15. 7 Motivos para se apaixonar por I’m Not a Robot
  16. Acabe com a Neura do Layout Perfeito
  17. Resenha: Alice – Boy From Wonderland
  18. Show do Asian Kung Fu Generation em Fortaleza ( Um Sonho Realizado)
  19. Resenha: As Travessuras de uma Sereia
  20. Blogagem Coletiva: 3 Top das Galáxias
  21. Blogagem Coletiva: O que aprendi com a minha mãe
  22. Cantores que você precisa conhecer
  23. Capitão Fantástico e O Palhaço – Dois Filmes para por no pontinho
  24. Coisas que você precisa saber antes de migrar para o WordPress
  25. Conheça a animação nacional Até que a Sbornia nos Separe
  26. Conheça a tocante historia de Com amor, Van Gogh.
  27. Conheça a Ilustradora Daieny Schuttz.
  28. Conheça nossa nova parceira a autora Nina Spim.
  29. Conheça Wanna One e o programa que o formou – Produce 101 Season 2
  30. Conta Premium – Dramafever X VIKI
  31. Dar para se amar sendo fora do Padrão, beleza?
  32. DEAN aquele cantor que todo mundo precisa escutar
  33. Death Note: Iluminando um Novo Mundo. Uma nova historia com a mesma essência.
  34. Desafio: 12 meses Literários
  35. Desafio: 52 Filmes em 52 Semanas
  36. Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada
  37. Doramas que precisam de Segunda temporada para já!
  38. 5 Doramas psicológicos que você tem que assistir
  39. Edição Econômica X Edição Normal – Qual vale a pena?
  40. Especial Dias das Mães: Indicação de Filmes
  41. Estreias de Doramas: Janeiro e Fevereiro 2017
  42. Faça edições incríveis com o Canva
  43. Filme: Judge
  44. Fragmentos do Horror – Horror em forma de arte
  45. Guia: Doramas para Iniciantes – Parte 1
  46. Para que plagiar se pode encontrar imagens de graça?
  47. Indicação: 5 Doramas que andei assistindo e recomendo.
  48. Lápis de cor Leo&Leo valem a pena?
  49. Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.
  50. Minhas Próximas Leituras
  51. Moana: Um Mar de Aventuras
  52. O que 2017 me deixou?
  53. O que andei assistindo…
  54. O que andou acontecendo na minha vida nesse período.
  55. O que tem na minha estante? Minhas Capas favoritas.
  56. Resenha: O Lar das Crianças Peculiares
  57. Onde assistir Doramas? Os Melhores Fanbub’s e App’s para te ajudar.
  58. Passe a Sexta- Feira 13 com a Saga Uma Noite de Crime
  59. Por que é importante não ter medo de mudar?
  60. Precisamos falar sobre a musica Instagram do DEAN
  61. Presence of the Almighty
  62. Presentes para O Dia dos Pais
  63. Querido(a) Blogueiro(a), mais respeito pelo trabalho dos colegas.
  64. Resenha: Rebel- Thief Of The People
  65. Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês
  66. Resenha: A Bela e a Fera – Livro
  67. Resenha: A Elite
  68. Resenha: A Escolha
  69. Resenha: A Seleção
  70. Resenha: Achados e Perdido. – A Literatura pode mudar vidas.
  71. Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme
  72. Resenha: Até que a Culpa nos Separe
  73. Resenha: Atypical
  74. Resenha: Battle Royale
  75. Resenha: Caraval
  76. Resenha: Cart
  77. Resenha: A Casa Vazia
  78. Resenha: Chicago Typewriter
  79. Resenha: Circle
  80. Resenha: Corte de Espinhos e Rosas
  81. Resenha: Corte de Névoa e Fúria
  82. Resenha: Deixe-me Em Paz
  83. Resenha: El Bar
  84. Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas
  85. Resenha: Goblin – The Lonely and Great God
  86. Resenha: Good Doctor
  87. Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
  88. Resenha: Hush – A Morte Ouve
  89. Resenha: Hwayi: A Monster Boy
  90. Resenha: Hyung
  91. Resenha: Koe no Katachi / A Silent Voice
  92. Resenha: Las Chicas del Cable
  93. Resenha: Las Chicas del Cable – 2° Temporada
  94. Resenha: Liar Game versão Coreana
  95. Resenha: Lion – Uma Jornada Para Casa
  96. Resenha: A Longa Marcha
  97. Resenha: Lookout
  98. Resenha: Moon Lovers Scarlet Heart Ryeo
  99. Resenha: My Wife’s having an affair Week
  100. Resenha: Naked Fireman
  101. Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras
  102. Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias
  103. Resenha: O Menino da Lista de Schindler
  104. Resenha: O Mínimo Para Viver
  105. Resenha: O Nevoeiro, mais uma decepção para lista.
  106. Resenha: O Sorriso da Hiena – Os Fins justificam os meios?
  107. Resenha: Oh My Venus
  108. Resenha: Pandora
  109. Resenha: Princess Hours Thai
  110. Resenha: Reportagem Exclusiva
  111. Resenha: Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal
  112. Resenha: Rotas de Fuga
  113. Resenha: Save Me
  114. Resenha: The Sound Of Your Heart
  115. Resenha: Stranger / Secret Forest
  116. Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.
  117. Resenha: Strongest Deliveryman
  118. Resenha: Sukina Hito Ga Iru Koto
  119. Resenha: Tazza – Uma Cartada Mortal
  120. Resenha: The Villainess – A Vilã
  121. Resenha: Train to Busan – Invasão Zumbi
  122. Resenha: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
  123. Resenha: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo
  124. Clube do Livro: Prince Of Thorns
  125. Serie: Alias Grace
  126. Resenha: Shining Inheritance – Meu Dorama Favorito
  127. Sonata em Punk Rock. Musica clássica ou Punk Rock, eis a questão.
  128. Tá na Crise? Como ser uma Bookaholic econômica.
  129. TAG: Liebster Award
  130. TAG: Se eu fosse um Ser Imaginário
  131. Teu problema não é bloqueio criativo e sim procrastinar.
  132. The Battleship Island, uma emocionante batalha por liberdade.
  133. The lights divided
  134. Uma Indicação fod*tica, Não sou um homem fácil
  135. Vale a pena ter um blog em 2018
  136. VIPs : A historia do vigarista que enganou Amaury Jr
  137. Wishlist Literária – Janeiro
  138. Zeide: A Travessia de um Judeu entre nações e gerações
Resenha: Cart
 Assisti esse filme Domingo, mas só hoje que pude trazer a Resenha, mesmo assim ele ainda estar bem fresquinho na minha cabeça. Nunca tinha visto nenhum filme que falasse sobre Greve e Cart soube mostrar bem como é uma, sem que o enredo ficasse chato, pelo contrário ele conseguiu prender atenção até o final. Se fosse resumi-lo em uma só frase seria, “Um filme cheio de mulheres fortes que estão lutando pelos seus direitos”.

Nome: Cart ou Ka-teu
País: Coreia do Sul
Ano: 2014
Duração: 110 min
Gênero: Drama, Família e Baseado em fatos reais.
Nota: 9,8
Sinopse: Sun-Hee (Yum Jung-Ah) é uma mãe de dois filhos. Ela já trabalhou como uma contratada pra uma grande loja de desconto nos últimos 5 anos. Sun-Hee foi prometida várias vezes que ela seria promovida a um funcionário regular em tempo integral. Hye-Mi (Moon Jeong-Hee) é uma mãe solteira e trabalha com Sun-Hee como um trabalhador de contrato. Soon-Rye (Kim Young-Ae) trabalha como faxineira na mesma loja de desconto e também é uma trabalhadora de contrato. Um dia, os trabalhadores contratados ficam sabendo que eles serão demitidos. O pânico toma conta dos trabalhadores, mas Hye-Mi e Soon-Rye sugerem que eles formem uma união para lutar por seus direitos. Sun-Hee é nomeado com Hye-Mi e Soon-Rye para representar os trabalhadores contratados. A luta entre os trabalhadores contratados e gestão ocorre. Retirada do Subarashiis.

 

O foco principal de Cart é um foto real que aconteceu na Coreia do Sul em 2007, quando Caixas de um supermercado foram demitidas sem motivo algum e por conta disso fizeram greve. Gostei como o roteiro conseguiu desenvolver a historia mostrando de uma forma envolvente os conflitos das empregadas contra os patrões. Além disso, as personagens eram fortes e por mais que passassem dificuldades não desistiam dos seus direitos.
As injustiças que os empregados tem que aguentar, também foram abordadas na trama, fora que houve uma parte que mostrou como a mídia foi manipulada para favorecer a empresa. Entretanto, não pense que esse filme só irá ter Drama, pois o roteiro conseguiu de forma inteligente colocar algumas cenas de humor, afinal as personagens conseguiam ri mesmo estando em uma situação desfavorável. Se fosse colocar um defeito seria o final, embora tenha me deixado toda arrepiada, ainda assim deixou a desejar, esperava mais do que um final em aberto, certo que sabemos que tudo deu certo no fim, mas queria ver isso no filme.
Sun Hee  trabalha como funcionaria contratada por 5 anos, assim que consegue uma promoção para se tornar uma funcionaria efetiva, a empresa para cortar custos, resolve despedir as funcionarias contratadas, inclusive ela. Não querendo ficar de braços cruzados, suas duas colegas de trabalho,  Hye-Mi e Soon-Rye, resolvem reunir as funcionarias que serão despedidas e criam uma especie de sindicato para tentar dialogar com o dono, no entanto não conseguem nenhum retorno. Sem outra saída, elas começam vários movimentos para conseguirem os seus empregos de volta.

 

 
Sun Hee é uma personagem calma e meiga, difícil acreditar que conseguiu reunir força para participar do movimento de frente. Ela é mãe de um adolescente chamado, Tae Young que no começo não conseguia entender o que sua mãe estava fazendo, além dele, ela tem uma menina que passa mais tempo vendo TV do que fazendo outra coisa. Sun Hee era um pouco na dela, mas mesmo assim era leal aos amigos e gostei como ela conseguiu mudar um pouco ao decorrer da trama.

Hye Mi é mãe solteira e levava seu filho pequeno junto nas manifestações e vou te dizer, o filho dela era uma verdadeira gracinha. Decidida, dificilmente fraquejou na trama, só existia uma coisa que era seu tendão de aquiles, seu filho e ela poderia fazer qualquer coisa por ele.  Foi uma das personagens que mais gostei na historia, pois estava lá para lutar por ela e suas amigas

 

Soon Rye embora tivesse uma idade avançada era a mais valente da historia. Essa senhora deu um verdadeiro show, consegui sentir toda a emoção dessa personagem, acho que vai ser difícil esquecer uma cena em que a policia aparece e ela com todas as forças não queria se deixar levar ao ponto de passar mal. E mesmo depois desse incidente ela continuou firme na batalha.

Dong Joon era um funcionário efetivo e ele se preocupava com Soon Hye como se fosse um neto, entende? Achei bonito da parte dele, além disso, pode-se dizer que ele era contra a atitude da empresa desde o começo e quando alguns funcionários efetivos tiveram cortes no salario. Ele e os demais resolveram se unir ao movimento das Caixas e isso acarretou mais barulho a Greve. Depois de ter visto o ator sendo vilão em Goodby, mr Black, foi até difícil desassociar o personagem dele, mas acreditam que o filme conseguiu esse feito? Na historia, ele aparentava ser um funcionário honesto e amigável.

Companheirismo 
 
No filme vemos muito companheirismo, pois as personagens estavam unidas pelo mesmo ideal. Cada uma tinha uma historia e motivo para estar ali e elas se mostravam dispostas a se ouvirem. Além disso, como havia dito, mesmo estando em uma situação nada favorável, ainda conseguiam arrumar motivos para rirem entre si.
Conclusão
 
Esse é um filme que entrou na lista de favoritos,  sabe não tem para onde correr, você precisa assistir. O roteiro é envolvente e os personagens bem construídos, além de consegui trabalhar bem com um tema bem incomum. Ele conseguiu me envolver de uma forma que em algumas partes estava toda arrepiada.
Onde ver
 
Subarashii (Download)

Infelizmente não consegui achar imagens ou vídeos para fazer gifs e deixar o post mais bonito. Espero que mesmo assim vocês tenham gostado.

Comentários
Tags:
19 anos com carinha de 15 e ossos de 80. Vivo me aventurando em historias fantasísticas, na qual uma hora sou uma tributo na outra sou uma mochileira das galaxias. Estudante de Artes Visuais, amo desenhar e escrever, meu sonho de princesa é ser quadrinista ou trabalhar na Pixar. No blog, compartilho minhas paixões por livros, filmes e doramas. O Meio Assimétrica, está repleto de surtos e desabafos sobre meu cotidiano... Convido você a conhecer mais sobre esse cantinho, então se aconchegue ai.

Related Article

0 Comments

Leave a Comment