Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.

. 0 Comentários .
 
Enquanto estou relendo alguns dos meus livros e tentando terminar Refresh Man, decidi dar as caras por aqui, trazendo mais uma listinha que tanto gosto de fazer. Dessa vez o tema é Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás, na verdade não queria por o Mangá no título, porque se é de anime geralmente é de mangá também, mas por causa de Liar Game que é apenas mangá, tive que coloca-lo. Enfim, agora vocês iram conhecer o meu melhor e pior lado, porque na lista irá ter produções que adoro, como também as que eu queria voltar no tempo e impedir a sua criação.

 

Essa foi uma das primeiras adaptações de animes que assisti, Gantz (2010), pode não ter sido fiel a historia original, mas mesmo assim possui um enredo envolvente e efeitos especiais convincentes. O elenco também foi bem selecionado, certo, posso estar sendo um pouco duvidosa ao falar sobre o elenco, haja visto que sou fã de Ninomiya, Kenichi Matsuyama e Nishi, mas creio que isso não influenciou muito, pois a atuação estava realmente boa. Além disso, o filme conseguiu prender a minha atenção do começo ao fim, ao ponto de quando terminei fui direto para a continuação.
Sinopse: Kei Kurono era um estudante de colegial até encontrar o amigo de infância Katou Masaru, que na tentativa de salvar um mendigo que caiu nos trilhos do metrô de Tóquio os dois são mortos. Em vez de se depararem com o céu ou o inferno, ambos se encontram em uma pequena sala, rodeados por pessoas desconhecidas e com uma estranha esfera negra que disponibiliza armas, uniformes e uma missão em comum: exterminar aliens. A cada missão cumprida os sobreviventes recebem uma pontuação se eles atingirem 100 pontos podem escolher algumas opções entre elas a de voltar a vida.
 
Saindo de uma boa adaptação, vamos para uma que me fez morder a língua, Meus amigos estavam falando que Attack on Titans seria um droga, acabei por defender a produção, por achar que ela seria boa, mas ai veio o lançamento e adivinha quem se ferrou? Não consigo acreditar em como alguém tem a faca e o queijo na mão e decide desperdiçar a  oportunidade. Não ligo se no original só tinha uma japonesa e no filme todos são japoneses, o que me matou mesmo, foi eles terem mudado a historia para pior, perdeu toda a adrenalina que sentíamos ao assistir o anime, fora que a historia ficou fraca e mau construída. Vou nem falar da atuação, e olha que Haruma Miura e Nishi estavam no elenco, mas como dizem, nem um bom ator salva um mau roteiro.
Sinopse: Há várias décadas atrás, a humanidade foi quase exterminada pelo súbito aparecimento de seres humanoides, conhecido como Titãs. Criaturas de tamanho enorme e de inteligência aparentemente baixa, que comiam humanos por prazer. No entanto, um pequeno grupo de seres humanos sobreviveu no interior de uma cidade protegida por paredes superiores a três vezes a altura dos maiores Titãs registados até à data. Durante 107 anos, a cidade fortificada foi testemunha de ataques dos Titãs sem sucesso, até que um dia, o jovem Eren Jaeger e sua irmã adotiva, Mikasa Ackerman, foram testemunhas da aparição de um Titã colossal, fazendo uma abertura em uma das paredes exteriores da cidade, o que permitiu a entrada de um grande grupo de Titãs menores. Ambos os filhos presenciam o horror de ver sua mãe sendo comida viva por um deles. Desde aquele dia, Eren jurou vingança contra cada um dos Titãs.
 
Agora mais uma adaptação que estar guardada bem no meu coração. Hana Yori Dango foi meu “primeiro” Dorama e até hoje tenho um enorme carinho por ele. A história mesmo que um pouco mudada, ainda conseguiu manter a essência da original, além de ter me conquistado ainda mais. Os personagens eram cativantes e o roteiro viciante, fora que tinha boas cenas de comédia e romance. Também não posso negar que o final desse Drama foi de longe melhor que o do original.
Sinopse: Makino Tsukushi, personagem principal, é uma garota de uma família pobre que, apesar das dificuldades financeiras, conseguiu ser admitida em uma escola de pessoas extremamente ricas. Para que ela possa estudar, sua família passa, com orgulho, por muitas privações, na esperança de que a filha consiga conquistar um herdeiro milionário. Nessa escola, Eitoku Gakuen, os alunos esbanjam suas vantagens financeiras, porém, os que mais se destacam é um famoso grupo de quatro rapazes chamado de Flower Four, os F4 (flores no sentido de preciosos), que são os herdeiros das mais poderosas famílias do Japão. Pelo poder financeiro dos seus nomes, eles ditam as regras na escola, passando por cima até mesmo dos professores e diretores.
 
Também foi baseado em Hana Yori Dango, mas que conseguiu um resultado bem diferente da versão japonesa, essa versão chinesa, Meteor Shower, estar na minha lista negra. Um roteiro sem sentido e uma personagem principal chata e irritante, nossa nunca tive tanta raiva de uma mocinha, como tive dela. Fora que não tinha nada demais no roteiro e olha que resistir até o capitulo 10.
Sinopse: Chu Yu Xun é uma estudante esperta e batalhadora. Seu maior sonho é entrar na prestigiosa universidade Alistun. Com a ajuda do seu tio ela finalmente é aceita. Murong Yun Hai, Duanmu Lei, Shangguan Rui Qian, e Ye Shuo são os 4 estudantes mais ricos da Alistun. Com suas aparências deslumbrantes, eles são os idolos das garotas de lá. Porém, eles estão insatisfeitos com as vidas que os pais os forçarão a terem. A fim de conseguirem com que o diretor os expulse de Alistun, eles pregam uma série de brincadeiras de mal gosto. Enquanto lutando por justiça das vitimas das brincadeiras, Yu Xun se torna o alvo dos 4 garotos. Através das lutas e discussões, eles começam a admirar cada um deles e eventualmente se tornam amigos. Ao mesmo tempo os 4 vão crescendo com relação ao amor e responsabilidades de um homem. Através das múltiplos esforços e apuros, Yu Xun, Yun Hai, Duanmu, Ye Shuo, e Shuangguan amadurecem. Eles aprendem a controlar suas próprias vidas, escolher os seus futuros e batalhar pelos seus sonhos.
Essa adaptação coreana do mangá Liar Game, conseguiu usar da melhor forma os elementos atraentes da historia
original. Deu uma certa modernidade ao roteiro e soube fazer mudanças inteligentes, trocou alguns personagens e mudou alguns acontecimento, sem perder o conteúdo. O desenvolvimento da historia foi bem elaborado, ao ponto de nos deixar ansiosos para o próximo capitulo, sem falar que os personagens foram bem construídos e acreditem ou não, amei o vilão.
Sinopse: Quando uma grande quantidade de dinheiro está em jogo, até que nível as pessoas vão se rebaixar para ganhá-lo? Devido à várias circunstâncias, Nam Da Jung (Kim So Eun), uma estudante ingênua e honesta, e Cha Wo Jin (Lee Sang Yoon), um ex-professor de psicologia da Universidade Nacional de Seul, um gênio porém vigarista, vão participar do reality show “Liar Game” (Jogo da Mentira) , rotulado como um jogo de sobrevivência psicológica. Nesse jogo, espera-se que os participantes mintam, trapaceiem e usem todos os métodos possíveis para saírem vitoriosos e ganharem o cobiçado prêmio final de 10 bilhões de wons (aproximadamente 10 milhões de dólares). Apresentado pelo diabólico Kang Do Young (Shin Sung Rok), auxiliado pela sua fiel diretora do programa Lee Yoon Joo (Cha Soo Yeon), o reality show instiga os seus participantes à beira e além dos limites da moralidade. Quem conseguirá sair vitorioso?
 
Se a coreana conquistou belos elogios a japonesa conseguiu o oposto. Quando assisti a versão coreana, estava tão vidrada na historia que queria ver o que iria acontecer, por isso parti para acompanhar a versão japonesa que já tinha terminado de lançar, enfim, se fosse resumir em uma palavra seria…Tosca, havia cenas repetitivas e a atuação estava extremamente exagerada, o roteiro tinha tudo para dar certo, mas…
Sinopse: Nao Kanzaki era uma estudante colegial extremamente honesta, que um dia recebeu 100 milhões que Yens e uma carta dizendo que ela fora escolhida para participar do “Liar Game”. Este é um jogo cujo objetivo seria enganar os outros jogadores para roubar os 100 milhões de Yens deles. No final, o vencedor ficaria os com 100 milhões e o perdedor teria 100 milhões em dívidas com a organização do jogo. No dia seguinte, Kazanki recebe informações de que seu oponente era um antigo professor, Kazuo Fujisawa. Ela procura-o para lhe pedir ajuda, mas ele acaba enganando-a e pegando todo seu dinheiro. Desesperada, ela recorre à policia, porém sem obter sucesso. É então que ela consegue ajuda de Shinichi Akiyama, um vigarista que acabara de sair da prisão.
 
Foi a mais recente que assisti e é um filme baseado no anime e mangá de mesmo nome. Os efeitos especias estavam impecáveis e embora não tenha visto o anime, ouvi falar que estava bem fiel. Parasyte, conseguiu me deixar vidrada com a história, além de ter uma forte crítica a nossa sociedade. O enredo foi bem construído, embora para ser sincera, teve algumas coisinhas que não gostei. Enfim, se você é fã do anime, vale a pena conferir.
Sinopse: Com 17 anos, Izumi Shinichi é um estudante que mora com seus pais em uma vizinhança pacata de Tóquio. Certa noite, alienígenas no formato de vermes invadem a Terra e começam a tomar controle do cérebro de hospedeiros humanos ao entrar por suas orelhas ou nariz. Um desses parasitas tenta se arrastar para dentro do cérebro de Shinichi enquanto ele dormia, contudo acaba sendo pego e no fim consegue tomar posse apenas de sua mão direita. Graças a isso, tanto Shinichi quanto o parasita (que futuramente receberia o nome de Migi) permanecem cada qual com sua própria consciência, ao contrário do que ocorre com quem tem o cérebro invadido. Apesar do susto inicial, conforme os dias passam Shinichi vai aos poucos criando certo grau de confiança com Migi, ao mesmo tempo em que encontra outros parasitas contrários a essa relação e que tentarão matá-lo
 
Por ultimo e não menos ruim, temos Mirai Nikki. Embora o anime tenha sido bem criticado por ai, eu gostei e até faltei aula para assistir (Não faltem aula, viu amiguinhos?), logo assim que soube que iria ter um o live action com Okada Masaki, resolvi conferir assim que lançasse. Como dar para perceber o resultado não me agradou muito, além de terem avacalhado com a história, o sangue parecia ketchup, isso mesmo, ketchup!
Sinopse: Arata Hoshino é um estudante universitário preguiçoso que não acredita em trabalhar para o seu futuro, ou colocar esforço para isso. Hoshino Arata, então, recebe um programa, “Future Diary” em seu novo telefone móvel que prevê tudo o que vai acontecer. Conheça Furusaki Yuno, uma garota com um passado obscuro, que é apaixonada por ele e estar disposto a fazer qualquer coisa para ajudar. Ambos estão envolvidos em um jogo de sobrevivência onde só pode haver um vencedor, e os dois começam a lutar Deus e seu programa, “Future Diary”.

Obs: As sinopses foram retiradas do Ohayo Dramas, Wikipédia e Dopeka.

Espero que tenham gostado. Qual adaptação vocês gostaram e odiaram?
Não falei sobre Dragon Ball Evolution, porque quero acreditar que esse filme nunca existiu. (rsrs)

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply