Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias

. 0 Comentários .
In Livro

Como estou lisa e quero manter meu habito de ler, optei por relei os livros que já tenho até que der certo comprar novos (rsrs). Para começar as releituras, escolhi O Guia dos Mochileiros da Galaxia, por ser um dos meus favoritos. Além de possui um humor inteligente, tem um enredo que te prende do começo ao fim.

Nome: O Guia dos Mochileiros da Galaxia.
Autor: Douglas Adams
Editora: Arqueiro
Ano: 2011
Paginas: 208
Nota: 10,0
Gênero: Comédia e Ficção
Sinopse: Este é o primeiro título da famosa série escrita por Douglas Adams, que conta as aventuras espaciais do inglês Arthur Dent e de seu amigo Ford Prefect. A dupla escapa da destruição da Terra pegando carona numa nave alienígena, graças aos conhecimentos de Prefect, um E.T. que vivia disfarçado de ator desempregado enquanto fazia pesquisa de campo para a nova edição do Guia do mochileiro das galáxias, o melhor guia de viagens interplanetário.

“O Guia do Mochileiro das Galáxias é uma obra organizada de modo um tanto caótico e contém diversos trechos que foram incluídos simplesmente porque na hora os organizadores acharam que era uma boa ideia. ”

O Guia do Mochileiro das Galáxias, é uma leitura leve e divertida, você consegue passar horas e horas lendo sem perceber. Douglas Adams possui um humor afiado e irônico, ele conseguia encaixar em meio a narrativa críticas a sociedade de uma forma inteligente e engraçada. O livro mexeu com a imaginação, existia tantos acontecimentos malucos, que acabava me pegando imaginando as cenas um tanto quanto pouco bizarras.
Por mais que o autor utilize termos científicos para algumas coisas na narrativa, dar para entender o que ele quer dizer no contexto, até porque algumas coisas já vimos em sala de aula. Além disso, os personagens são originais e bem satirizados, assim como, os diálogos são bem elaborados e humorados. Também não posso esquecer o próprio Guia do Mochileiro das Galáxias, que estar sempre aparecendo no meio da narrativa com informações sobre o universo.

Em plena quinta-feira, a vida de Arthur amanheceu fora do normal, sua casa estar prestes a ser demolida e para evitar que os tratores se aproximem, ele se deita sobre a lama em frente a ela. Como já não  fosse o bastante, seu amigo Ford aparece pedido para sair com ele por bar, além de fazer um “acordo” com o chefe de obras e mesmo a situação parecendo absurda, Arthur é convencido pelo amigo a ir. Lá Ford pede para ele bebe seis chopes, fora que fica falando para o Barman que o mundo irá acabar em pouco minutos, -detalhe tudo na maior tranquilidade. E infelizmente, o que ele disse é verdade, a Terra precisa ser demolida para a construção de uma via expressa hiperespacial. Para a sorte de Arthur, Ford consegue carona em uma espacionave para os dois. Logo em meio ao espacio, eles iram viver muitas aventuras a procura da resposta sobre a vida, universo e tudo mais.

Arthur é um terráqueo comum, é um pouco inseguro consigo mesmo, demorou  para se adaptar a sua nova realidade e foi difícil ele seguir o conselho de “Não entre em Pânico”. Já o seu amigo, Ford, é um ET que viveu na terra durante 15 anos fazendo pesquisa de campo para o livro Guia do Mochileiro das Galáxias, uma especie de Wikipédia que tem todas as informações do universo. Esse personagem foi cômica, tinha uma posição tranquila e debochada sobre as situações, nem a possível aproximação da morte poderia tira sua tranquilidade, além ter um forte desejo por aventuras.

Zaphod é primo de Ford e é um famoso ladrão que conseguiu se tornar presidente das Galáxias – Mais uma forma do autor alfinetar a sociedade. No seu primeiro dia de presidente, ele rouba uma nova nave, Coração de Ouro, que funciona por meio da improbabilidade. Ele leva consigo uma terráquea chamava Trillian e um robô depressivo chamado Marvin. Trillian é bastante inteligente e tem uma personalidade forte, ela conheceu Arthur em uma festa, mas preferiu sair com Zaphod a  ter que continuar a conversa com ele. Já Marvin foi de longe o meu favorito, um robô bem negativo e que não via sentido na vida, a negatividade dele era tamanha, que em apenas conversar com uma nave fez com que ela cometesse suicídio – Desculpa, mas eu adorei ele, tanto é que fiz esse bonequinho de biscuit.

Por fim, o livro não discrimina idade, você pode ler com 10 como também com 50 e ainda sim irá gostar e ri da mesma forma. Fora que é uma leitura rápida e a narrativa flui de uma forma que o tempo passa e nem sentimos. O legal do livro é que por cima a história pode parece normal, mas se lemos nas entre linhas, conseguimos descobrir o que o autor quer passar e é uma coisa bem  mais profunda.

Espero que tenham gostado da primeira resenha de livro do blog.

 

 

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply