1. 10 Coisas que espantam qualquer leitor de um blog
  2. 10 Motivos para assistir Abnormal Summit
  3. 10 Dicas para fazer uma boa Resenha
  4. 3 Decepções Literárias
  5. 4 Clichês que nunca perdem a graça
  6. 5 Coisas que viciados em Livros já deve ter passado
  7. 5 Comédias Românticas Que Fogem aos Padrões
  8. 5 Filmes coreanos para assistir nas férias.
  9. 5 Filmes de Época para se apaixonar
  10. 5 Motivos para assistir Re: mind
  11. 52 Filmes em 52 Dias: As Sufragistas
  12. 52 Filmes em 52 Semanas: Marathon
  13. 6 Motivos para ler Extraordinário
  14. 7 Motivos para se apaixonar por I’m Not a Robot
  15. Acabe com a Neura do Layout Perfeito
  16. Resenha: Alice – Boy From Wonderland
  17. Show do Asian Kung Fu Generation em Fortaleza ( Um Sonho Realizado)
  18. Resenha: As Travessuras de uma Sereia
  19. Blogagem Coletiva: 3 Top das Galáxias
  20. Blogagem Coletiva: O que aprendi com a minha mãe
  21. Cantores que você precisa conhecer
  22. Coisas que você precisa saber antes de migrar para o WordPress
  23. Conheça a tocante historia de Com amor, Van Gogh.
  24. Conheça a Ilustradora Daieny Schuttz.
  25. Conheça nossa nova parceira a autora Nina Spim.
  26. Conheça Wanna One e o programa que o formou – Produce 101 Season 2
  27. Conta Premium – Dramafever X VIKI
  28. Dar para se amar sendo fora do Padrão, beleza?
  29. DEAN aquele cantor que todo mundo precisa escutar
  30. Death Note: Iluminando um Novo Mundo. Uma nova historia com a mesma essência.
  31. Desafio: 12 meses Literários
  32. Desafio: 52 Filmes em 52 Semanas
  33. Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada
  34. Doramas que precisam de Segunda temporada para já!
  35. 5 Doramas psicológicos que você tem que assistir
  36. Edição Econômica X Edição Normal – Qual vale a pena?
  37. Especial Dias das Mães: Indicação de Filmes
  38. Estreias de Doramas: Janeiro e Fevereiro 2017
  39. Faça edições incríveis com o Canva
  40. Filme: Judge
  41. Fragmentos do Horror – Horror em forma de arte
  42. Guia: Doramas para Iniciantes – Parte 1
  43. Para que plagiar se pode encontrar imagens de graça?
  44. Indicação: 5 Doramas que andei assistindo e recomendo.
  45. Lápis de cor Leo&Leo valem a pena?
  46. Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.
  47. Minhas Próximas Leituras
  48. Moana: Um Mar de Aventuras
  49. O que 2017 me deixou?
  50. O que andei assistindo…
  51. O que andou acontecendo na minha vida nesse período.
  52. Resenha: O Lar das Crianças Peculiares
  53. Onde assistir Doramas? Os Melhores Fanbub’s e App’s para te ajudar.
  54. Por que é importante não ter medo de mudar?
  55. Precisamos falar sobre a musica Instagram do DEAN
  56. Presence of the Almighty
  57. Presentes para O Dia dos Pais
  58. Querido(a) Blogueiro(a), mais respeito pelo trabalho dos colegas.
  59. Resenha: Rebel- Thief Of The People
  60. Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês
  61. Resenha: A Bela e a Fera – Livro
  62. Resenha: A Elite
  63. Resenha: A Escolha
  64. Resenha: A Seleção
  65. Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme
  66. Resenha: Atypical
  67. Resenha: Battle Royale
  68. Resenha: Caraval
  69. Resenha: Cart
  70. Resenha: A Casa Vazia
  71. Resenha: Chicago Typewriter
  72. Resenha: Circle
  73. Resenha: Corte de Espinhos e Rosas
  74. Resenha: Corte de Névoa e Fúria
  75. Resenha: Deixe-me Em Paz
  76. Resenha: El Bar
  77. Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas
  78. Resenha: Goblin – The Lonely and Great God
  79. Resenha: Good Doctor
  80. Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
  81. Resenha: Hush – A Morte Ouve
  82. Resenha: Hwayi: A Monster Boy
  83. Resenha: Hyung
  84. Resenha: Koe no Katachi / A Silent Voice
  85. Resenha: Las Chicas del Cable
  86. Resenha: Las Chicas del Cable – 2° Temporada
  87. Resenha: Liar Game versão Coreana
  88. Resenha: Lion – Uma Jornada Para Casa
  89. Resenha: A Longa Marcha
  90. Resenha: Lookout
  91. Resenha: Moon Lovers Scarlet Heart Ryeo
  92. Resenha: My Wife’s having an affair Week
  93. Resenha: Naked Fireman
  94. Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras
  95. Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias
  96. Resenha: O Menino da Lista de Schindler
  97. Resenha: O Mínimo Para Viver
  98. Resenha: O Nevoeiro, mais uma decepção para lista.
  99. Resenha: O Sorriso da Hiena – Os Fins justificam os meios?
  100. Resenha: Oh My Venus
  101. Resenha: Pandora
  102. Resenha: Princess Hours Thai
  103. Resenha: Reportagem Exclusiva
  104. Resenha: Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal
  105. Resenha: Rotas de Fuga
  106. Resenha: Save Me
  107. Resenha: The Sound Of Your Heart
  108. Resenha: Stranger / Secret Forest
  109. Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.
  110. Resenha: Strongest Deliveryman
  111. Resenha: Sukina Hito Ga Iru Koto
  112. Resenha: Tazza – Uma Cartada Mortal
  113. Resenha: The Villainess – A Vilã
  114. Resenha: Train to Busan – Invasão Zumbi
  115. Resenha: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
  116. Resenha: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo
  117. Clube do Livro: Prince Of Thorns
  118. Serie: Alias Grace
  119. Resenha: Shining Inheritance – Meu Dorama Favorito
  120. Sonata em Punk Rock. Musica clássica ou Punk Rock, eis a questão.
  121. Tá na Crise? Como ser uma Bookaholic econômica.
  122. TAG: Liebster Award
  123. TAG: Se eu fosse um Ser Imaginário
  124. Teu problema não é bloqueio criativo e sim procrastinar.
  125. The Battleship Island, uma emocionante batalha por liberdade.
  126. The lights divided
  127. Vale a pena ter um blog em 2018
  128. VIPs : A historia do vigarista que enganou Amaury Jr
  129. Wishlist Literária – Janeiro
  130. Zeide: A Travessia de um Judeu entre nações e gerações
Resenha: Circle


Estou passando por um bloqueio criativo daqueles, logo por mais que eu tenha o que postar, não consigo escrever, por isso que o blog perdeu a frequência de postagens, mas acho que esses três dias serviram para dar uma descansada e quem sabe voltar com tudo? Enfim, enquanto estava passando por esse probleminha, decidi assisti um filme, lembrei então que tinha lido uma resenha elogiando Circle e foi com ele que passei a tarde de ontem. Para ser sincera, o filme tem uma boa historia, mas por mais que tente gostar do final…

Título: Circle
Diretores: Aaron Hann e Mario Miscione
Ano: 2015
País: EUA
Duração: 86min
Gênero: Suspense e Drama
Nota: 7,5
Sinopse: 50 estranhos acordam e se veem presos numa misteriosa e enorme câmara, sem nenhuma lembrança
de como chegaram lá. Organizados em um grande círculo e incapaz de se moverem, eles rapidamente descobrem que a cada dois minutos um deles deve morrer, executado por um estranho aparelho no centro da sala. A princípio, os ataques parecem aleatórios, mas logo os estranhos perceber que, como um grupo, têm o poder de decidir quem será o próximo a ser morto. Mas como eles escolhem quem merece morrer? E o que acontecerá quando restar apenas uma pessoa?

 

O filme se passa em apenas um cenário e os personagens não podem se mexer, logo Circle foi capaz de prender a atenção apenas com seus diálogos que poem questões sociais em pauta. Gosto de historias de sobrevivência, pois nelas podemos ver  a verdadeira natureza do homem quando sua vida estar em risco e nesse enredo não é diferente, pois haviam pessoas que procuravam qualquer defeito no próximo para escapar da berlinda, assim como existia outros que se sacrificavam afim de ganhar tempo para os outros resolveram o enigma. Além disso, ele segue aquela linha “Pouco é mais” e essa simplicidade o tornou interessante.

Devido a sua diversidade em personagens, Circle trás discussões sobre temas persistentes como racismo, homofobia, xenofobia, entre outros preconceitos do nosso cotidiano, desse modo, o roteiro não teve medo de expor o lado obscuro da nossa sociedade. No entanto, fiquei bastante frustada com o seu término e por mais que eu tentei reconsiderar sobre o final, não consigo, já li algumas teorias sobre o desfecho da história, mas eu tenho problemas com finais em aberto, pois pelo menos para mim, sempre fica aquela sensação de alguma coisa faltando.

Como no filme não tem personagem principal, qualquer pessoa entre as 50 poderia sair viva no final e isso foi muito legal, pois qualquer um poderia morrer, fazendo com que o final fosse inesperado. Certo que em meio a tantas pessoas, existiam os que se destacavam mais e aqueles que acabávamos  por torcer. A historia não tem um começo especifico, as pessoas já estão lá e não tem ninguém para explicar o que estar acontecendo ou como funcionava a escolha de quem iria morrer.

Até que chegassem em uma conclusão de que é por meio de votação, algumas pessoas são mortas aleatoriamente. O modo em que eles vão votando foi mudando de acordo que o tempo foi passando e os personagens foram se conhecendo melhor, logo era preciso ter a simpatia dos outros ou lábia o bastante para tirar a corda do pescoço e colocar-la no seu vizinho.

Cada personagem representa um grupo social e foi a primeira vez que vi tanta variedade em um só filme e foi bastante interessante ver-los discutir sobre quem deveria viver. Além disso, na medida que a historia segue, as pessoas no circulo, acabam formando alianças para se manterem a salvo até que resolvam o mistério, logo quando dei por mim, a sala estava dividida em duas. Os dois alvos principais de um dos lados, era uma criança e uma mulher grávida, já o outro lado buscava proteger-las.

O fato de ter uma menina e uma gravida, me fez pensar, “Será que teria coragem de matar-las para viver?” e seria até uma baita de uma hipocrisia se dissesse agora que Não, pois não sei se meu instinto de sobrevivência falaria mais alto, desse modo não posso dar uma resposta sincera até que esse dia chegue (Espero que nunca), logo não consigo julgar o grupo que optou por ter-las como alvo principal, como também todos ali, pois convenhamos todo mundo queria viver, certo que tinha uns que pelo amor de Deus, que pessoas de mente fechada e preconceituosas, dava até um alivio quando eles morriam.

Conclusão
 
 

Circle é um filme que se sustenta a base de seu bom dialogo, por isso não espere grandes acontecimentos, pois o especial no roteiro é sua simplicidade. Recomendo-o para quem gostar desse estilo de historia, pois ele conhece abordar de uma forma diferente a temática de sobrevivência, além de não ter um principal, o que nos deixa livres para escolher o nosso favorito. Porém, não aconselho a pessoas que não gostam de filmes minimalistas ou de finais em aberto, pois como havia dito, Circle dar aquela sensação de sem final, embora tenha uma explicação para isso, pois um circulo não tem começo e nem fim, por isso que da mesma forma que não temos um começo, também não temos um final explicadinho.

 
Onde ver
 
Netflix
 
 

Comentários
18 anos com carinha de 15 e ossos de 80. Vivo me aventurando em historias fantasísticas, na qual uma hora sou uma tributo na outra sou uma mochileira das galaxias. Estudante de Artes Visuais, amo desenhar e escrever, meu sonho de princesa é ser quadrinista ou trabalhar na Pixar. No blog, compartilho minhas paixões por livros, filmes e doramas. O Meio Assimétrica, está repleto de surtos e desabafos sobre meu cotidiano... Convido você a conhecer mais sobre esse cantinho, então se aconchegue ai.

2 Comments

Luciano dezembro 19, 2017 at 3:35 am

Olá, gostei da tua crítica ao filme. resumiu bem e levantou pontos interessantes. Porém, teu texto precisa muito ser revisado. Há muitos e graves erros que comprometem a experiência de leitura.
Digo isso porque sou revisor e descobri teu blog procurando por críticas sobre esse filme. Se não quiser, não precisa publicar esse comentário, pois não tenho a intenção de te prejudicar ou algo parecido.
Se quiser entrar em contato e conversar sobre revisão, deixarei meu email abaixo.
No mais, parabéns pelo bom trabalho.

lucianotcaceres@gmail.com

    Ana Letícia dezembro 23, 2017 at 7:04 pm

    Olá Luciano, tudo bem? Obrigada pelo alerta, irei dar uma olhadinha. Não se preocupe que seu comentário não irá prejudicar, alias ele está me ajudando a melhorar e por isso agradeço. No momento a situação anda apertada, senão iria sim atrás de seu trabalho, quando tiver uma melhoria no bolso, com certeza entrarei em contato.

    Beijos e volte sempre. <3

Leave a Comment