in Series

Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.

at
resenha-stranger-things-1-temporada
 


Já  faz um bom tempo que terminei Stranger Things e infelizmente só consegui trazer a resenha  agora. Sabe, tinha dado um tempo para as series, mas como estou de “férias”, decidi conferi algumas e aos poucos estão entrando nesse mundo sem volta, ou seja, mas um vicio para minha lista. Como havia visto muitos posts falando sobre essa serie, acabei colocando-a no topo da lista, mas confesso que não esperava devora-la de uma só vez. 

 
 

 

Nome: Stranger Things
País: EUA
Ano: 2016
Duração: 55 min
Status: Renovada
Gênero: Suspense, Drama e Fantasia
Sinopse: Ambientada em Montauk, Long Island, conta a história de um garoto que desaparece misteriosamente. Enquanto a polícia, a família e os amigos procuram respostas, eles acabam mergulhando em um extraordinário mistério, envolvendo um experimento secreto do governo, forças sobrenaturais e uma garotinha muito, muito estranha.

 
 
Stranger Things se passa nos anos 80 e por mais que não tenha nascido nesse ano, ela conseguiu passar aquele ar nostálgico. Além disso, amei as várias referencias da cultura pop retratada na série, as vezes sentia aquela mesma sensação de está vendo alguma produção do Steven Spielberg (Meu segundo diretor favorito) e isso foi especial, porque trouxe a mesma magia de quando assitia E.T- Extraterrestre. Focando na história da serie, o roteiro foi bem produzido, cada capitulo era válido e era quase que impossível  terminar um episodio e não ir para o próximo.
 
Gostei do elenco, principalmente as crianças, pois a atuação deles foi natural e isso deu realidade a historia. Devo dar destaque a Millie Bobby, que interpretou Eleven, pois sua personagem é complexa e ela conseguiu interpreta-la perfeitamente. Outra coisa que devo acrescentar, é que pelo fato de ter poucos capítulos, facilita na hora de fazer maratona, pois convenhamos, você irá fazer.
 
Em uma cidade pacata, um garoto chamado Will desaparece ou melhor dizendo, é levado por uma criatura de outra dimensão. Seus amigos, Mike, Dustin e Lucas vão em sua procura, mas acabam encontrando uma garota um pouco estranha que se chama Eleven. Logo, a cidade até então calma, começa a ser cenário de vários acontecimentos sobrenaturais.
 
Primeiro vou falar dos garotos, porque vamos ter que concordar que eles deram o ar da graça na trama. Mike é de uma família um pouco protetora, mas que saía as escondidas para poder ir atrás do amigo desaparecido. Ele é um bom amigo e me pareceu até maduro para sua idade,  sem falar que era fofo o jeito que ele cuidava da Eleven. Dustin é aquele gordinho simpático que todo mundo quer como amigo, mesmo sendo um pouco medroso, conseguiu controlar o medo, mesmo com todas aquelas coisas bizarra que acontecia. Lucas foi o mais racionar do trio, pode até ter parecido chato as vezes, mas acredito que ele era só pé no chão.
 
Deixei para falar de Eleven sozinha. Pois bem, quando o trio estava na floresta atrás de Will, eles acabaram a encontrando e a levaram para casa do Mike. A garota tinha fugido de um laboratório e parado em uma lanchonete, mas acabou sendo encontrada e teve que sair de lá também, sua sorte foi se deparar com o grupo e assim se sentir mais segura e até mesmo mais normal. Eleven não teve uma infância muito agradável, pois é tratada como um experimento e seu “pai” vive fazendo testes com a garota, pois ela consegue mexer coisas com a mente e fazer outras coisinhas mais. Achei a personagem bem complexa e a atriz conseguiu conduzir bem todas as cenas.
 
Joyce, mãe de Will, foi a mais afetada com o sumiço de seu filho. Quando quase todo mundo perdeu as esperanças, ela continuou acreditando que seu filho estava vivo e mais perto do que todos imaginam. Passou a se vista como louca, quando acreditava  se comunicar com o Will por meio das luzes de casa, até mesmo seu filho mais velho demorou a acreditar na sanidade da mãe. A personagem foi uma verdadeira mãe, não média esforços para poder encontrar seu filho e mesmo que todos achassem que estava louca, continuou ativa e sem fraquejar. A atuação da atriz estava excelente ela conseguia passar todo aquela angustia que Joyce estava sentido
 
 
Nancy é irmã de Mike e é um pouco distante de seu irmão. No começo era igual a todo mundo, mas depois que sua amiga Barbara desaparece, ela começa a acreditar que os dois desaparecimento estão inter-ligado. Ela se uni a Jonathan, irmão de Will, e os dois vão a caçada de uma criatura que Nancy viu um dia depois do sumiço de Barbara, a qual ela acredita ser a responsável pelos desaparecimentos. Nancy é uma garota certinha, por causa de seu novo namorado passou a ter más companhias e por isso acabou deixando de lado sua melhor amiga, até que abriu os olhos assim que Barbara desapareceu. Já Jonathan é tido como esquisito da escola, ele tinha uma boa relação com o irmão mais novo e as vezes se sentia culpado pelo ocorrido. Ele foi o ultimo a ver Barbara e numa fotografia que havia tirado apareceu a sombra de uma especie de criatura.
 
Hopper é o xerife da cidade e estava acostumado a casos pequenos, quando ocorre o desaparecimento de Will, no começo acreditava que era um caso comum de desaparecimento, mas depois que começou a investigar o caso, percebeu que era algo bem diferente do normal. Queria que todos os policias daqui tivessem a mesma determinação que o Hopper, pois mesmo com todas as limitações, ele continuou no caso e ajudou Joyce na procura pelo filho.
 
Conclusão
 
Sranger Things merece todos os elogios que recebeu dos fãs. Possui um mistério envolvente, além de trazer aquela sensação nostálgica com suas referencias a cultura pop. Cada capitulo foi bem construído sem deixar nenhum ponto sem nó, fora que ficamos curiosos para assistir a Segunda Temporada.
 
 

Imagens retiradas do Tumblr e Giphy

Share:

Ana Letícia

18 anos de pura confusão e sedentarismo. Amo assistir filmes e sofrer por Doramas. Nas horas vagas adora ler e conferir uma serie nova na Netflix.

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d blogueiros gostam disto: