Resenha: A Escolha

. 2 Comentários .
In Livro

Olá Girafinhas. Estou com um desanimo para escrever. Não é culpa do blog, mas infelizmente ele acaba sendo prejudicado. Quando resenhei A Elite faltava pouco para terminar A Escolha, teria trago a resenha mais rápido se não fosse esse probleminha que falei.  Esse livro conseguiu fazer a pazes comigo, pois A Elite me deixou decepcionada, porém A Escolha foi bem diferente. Nessa historia, o lado que queria ver na America foi melhor aproveitado, além de fluir de uma boa maneira.

Título: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2014
Paginas: 352
Gênero: Quando foi sorteada para participar da Seleção, America não imaginava que chegaria tão perto da coroa – nem do coração do príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de tudo o que está em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo… Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar um futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente.

Em A Escolha, toda a indecisão de America chegara ao fim, a personagem estava mais decidida e sabia o que queria. Por conta disso, teve mais cenas em que pôde mostrar sua verdadeira essência. Alguns Rebeldes ganharam maior destaque e se tornaram umas das peças fundamentais na trama. O Rei Clarkson, estava mais odioso e não media esforços para atrapalhar nossa mocinha.  Logo não é de se estranhar que em A Escolha, o enredo tenha sido mais dinâmico, com situações que colocarão os personagens a prova.

 A amizade entre as concorrentes ficou mais forte e gostei da forma que foi desenvolvida. Aquele pequeno grupo virou uma irmandade que se ajudavam entre si. Além disso, Aspen pareceu mais compreensivo em relação a decisão de America. Deu o espaço que ela precisava e aceitou sua decisão. Agora, achei o final corrido, foi como uma chuva de acontecimentos que ficou até difícil absorver tudo de uma vez. Não, que não tenha gostado. Claro que gostei foi um final feliz, mas se tivesse sido tratado de uma forma mais lenta, teria gostado mais.

A competição estar na reta final e America estar decidida a lutar pelo seu amado. No entanto, terá de superar grandes barreiras. Além disso, enquanto um grupo de Rebelde se aliam ao príncipe Maxon e a America, outro estar com sede de sangue e de poder. A Seleção precisa terminar, será que nosso mocinhos terão o tão sonhado “Felizes para sempre?”

O que falar de A Escolha? Confesso que faz algumas horas que estou escrevendo esse post sem saber o que escrever. Dos três livros esse foi com certeza o mais dinâmico e que teve muito mais acontecimentos. Os personagens foram melhor aproveitado e o enredo teve um bom ritmo, embora tenha ficado acelerado no final. A mudança maior estar na America, pois de uma personagem indecisa e um pouco insegura, foi para uma corajosa e astuta mulher. Tendo como maior inimigo o rei da nação, teve de aprender a superar os obstáculos colocados por ele.

O rei Clarkson não mediu esforços para tentar colocar nossa mocinha em saia justa. Criou situações para provar que America não era uma boa escolha. Além de não poupa-la de humilhações quando desejado. Para seu desanimo, nem America estava disposta a abaixar cabeça nem Maxon estava disposto a ceder as vontades do pai. Logo, podemos ver o príncipe como alguém autônomo e não mais como uma marionete do rei.

Se em A Elite as concorrentes ganharam maior destaque em A Escolha não foi diferente. As poucas que restaram passaram a serem amigas e a formaram uma irmandade. Era legal ver tantas personalidades diferentes se dando bem mesmo em uma situação nem um pouco comum. Celeste teve uma boa mudança, tornando-se melhor amiga de America. Já gostava da personagem, agora gosto ainda mais. Até mesmo Elise ganhou mais falas na narrativa, sua calma e elegância, deram lugar a uma jovem que estar ali para orgulhar a família. Aspen finalmente entendeu que não habita mais o coração de America. Mostrou-se compreensivo e confesso que meu coraçãozinho sofreu um pouco. Ele conseguiu seguir em frente e queria até falar mais, porém irei acabar falando spoiler.

Um dos grupos dos Rebeldes, resolvera se aliar ao príncipe Maxon e a America, afim de tentarem acabar com as castas. Em contrapartida, outro grupo estar espalhando o medo pela região e pondo em risco a vida dos familiares das concorrentes. Seu objetivo é tomar o poder da monarquia, para fazer um regime bem mais autoritário.

O final foi um pouco corrido e como havia dito, pareceu uma chuvas de acontecimentos. Seria até mais proveitoso se tivesse sido mais devagar ou então seguido o ritmo da narrativa. Algumas coisas foram trata de forma tão rápida, coisas que poderiam dar um gostinho a mais na trama. Enfim, gostei do livro. A Seleção é uma trilogia que guardo com carinho e quero ler outros livros da série ou de mesma autoria.

Nota

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply
    Jade Amorim
    março 14, 2017 at 3:15 am

    Menina se tem uma trilogia que eu não senti a menor atração foi essa. Vejo milhares de pessoas falarem sobre mas parece teen demais pra mim e não acho que eu gastaria meu dinheirinho comprando esses livros. Se ganhar quem sabe né? rs

    Beijos

    • Reply
      Ana
      março 20, 2017 at 12:50 pm

      Olá Jade, tudo bem? A primeira vista A Seleção tem essa impressão, mas ela conseguiu mudar em parte minha opinião, porque A Elite estragou um pouco.

      Tchauzinho e aguardo seu retorno.

    Leave a Reply