1. 10 Coisas que espantam qualquer leitor de um blog
  2. 10 Motivos para assistir Abnormal Summit
  3. 10 Dicas para fazer uma boa Resenha
  4. 3 Decepções Literárias
  5. 4 Clichês que nunca perdem a graça
  6. 5 Coisas que viciados em Livros já deve ter passado
  7. 5 Comédias Românticas Que Fogem aos Padrões
  8. 5 Doramas para te encher de Fofura
  9. 5 Filmes coreanos para assistir nas férias.
  10. 5 Filmes de Época para se apaixonar
  11. 5 Motivos para assistir Re: mind
  12. 52 Filmes em 52 Dias: As Sufragistas
  13. 52 Filmes em 52 Semanas: Marathon
  14. 6 Motivos para ler Extraordinário
  15. 7 Motivos para se apaixonar por I’m Not a Robot
  16. Acabe com a Neura do Layout Perfeito
  17. Resenha: Alice – Boy From Wonderland
  18. Show do Asian Kung Fu Generation em Fortaleza ( Um Sonho Realizado)
  19. Resenha: As Travessuras de uma Sereia
  20. Blogagem Coletiva: 3 Top das Galáxias
  21. Blogagem Coletiva: O que aprendi com a minha mãe
  22. Bora economizar? Aprenda a usar o Cupom Válido.
  23. Cantores que você precisa conhecer
  24. Capitão Fantástico e O Palhaço – Dois Filmes para por no pontinho
  25. Coisas que você precisa saber antes de migrar para o WordPress
  26. Conheça a animação nacional Até que a Sbornia nos Separe
  27. Conheça a tocante historia de Com amor, Van Gogh.
  28. Conheça a Ilustradora Daieny Schuttz.
  29. Conheça nossa nova parceira a autora Nina Spim.
  30. Conheça Wanna One e o programa que o formou – Produce 101 Season 2
  31. Conta Premium – Dramafever X VIKI
  32. Dar para se amar sendo fora do Padrão, beleza?
  33. DEAN aquele cantor que todo mundo precisa escutar
  34. Death Note: Iluminando um Novo Mundo. Uma nova historia com a mesma essência.
  35. Desafio: 12 meses Literários
  36. Desafio: 52 Filmes em 52 Semanas
  37. Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada
  38. Doramas que precisam de Segunda temporada para já!
  39. 5 Doramas psicológicos que você tem que assistir
  40. Edição Econômica X Edição Normal – Qual vale a pena?
  41. Especial Dias das Mães: Indicação de Filmes
  42. Estreias de Doramas: Janeiro e Fevereiro 2017
  43. Faça edições incríveis com o Canva
  44. Filme: Judge
  45. Fragmentos do Horror – Horror em forma de arte
  46. Guia: Doramas para Iniciantes – Parte 1
  47. Para que plagiar se pode encontrar imagens de graça?
  48. Indicação: 5 Doramas que andei assistindo e recomendo.
  49. Lápis de cor Leo&Leo valem a pena?
  50. Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.
  51. Minhas Próximas Leituras
  52. Moana: Um Mar de Aventuras
  53. O que 2017 me deixou?
  54. O que andei assistindo…
  55. O que andou acontecendo na minha vida nesse período.
  56. O que tem na minha estante? Minhas Capas favoritas.
  57. Resenha: O Lar das Crianças Peculiares
  58. Onde assistir Doramas? Os Melhores Fanbub’s e App’s para te ajudar.
  59. Passe a Sexta- Feira 13 com a Saga Uma Noite de Crime
  60. Por que é importante não ter medo de mudar?
  61. Porque a nova cara do clichê é tão necessária.
  62. Precisamos falar sobre a musica Instagram do DEAN
  63. Presence of the Almighty
  64. Presentes para O Dia dos Pais
  65. Querido(a) Blogueiro(a), mais respeito pelo trabalho dos colegas.
  66. Resenha: Rebel- Thief Of The People
  67. Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês
  68. Resenha: A Bela e a Fera – Livro
  69. Resenha: A Elite
  70. Resenha: A Escolha
  71. Resenha: A Seleção
  72. Resenha: Achados e Perdido. – A Literatura pode mudar vidas.
  73. Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme
  74. Resenha: Até que a Culpa nos Separe
  75. Resenha: Atypical
  76. Resenha: Battle Royale
  77. Resenha: Caraval
  78. Resenha: Cart
  79. Resenha: A Casa Vazia
  80. Resenha: Chicago Typewriter
  81. Resenha: Circle
  82. Resenha: Corte de Espinhos e Rosas
  83. Resenha: Corte de Névoa e Fúria
  84. Resenha: Deixe-me Em Paz
  85. Resenha: El Bar
  86. Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas
  87. Resenha: Goblin – The Lonely and Great God
  88. Resenha: Good Doctor
  89. Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
  90. Resenha: Hush – A Morte Ouve
  91. Resenha: Hwayi: A Monster Boy
  92. Resenha: Hyung
  93. Resenha: Koe no Katachi / A Silent Voice
  94. Resenha: Las Chicas del Cable
  95. Resenha: Las Chicas del Cable – 2° Temporada
  96. Resenha: Liar Game versão Coreana
  97. Resenha: Lion – Uma Jornada Para Casa
  98. Resenha: A Longa Marcha
  99. Resenha: Lookout
  100. Resenha: Moon Lovers Scarlet Heart Ryeo
  101. Resenha: My Wife’s having an affair Week
  102. Resenha: Naked Fireman
  103. Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras
  104. Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias
  105. Resenha: O Menino da Lista de Schindler
  106. Resenha: O Mínimo Para Viver
  107. Resenha: O Nevoeiro, mais uma decepção para lista.
  108. Resenha: O Sorriso da Hiena – Os Fins justificam os meios?
  109. Resenha: Oh My Venus
  110. Resenha: Pandora
  111. Resenha: Princess Hours Thai
  112. Resenha: Reportagem Exclusiva
  113. Resenha: Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal
  114. Resenha: Rotas de Fuga
  115. Resenha: Save Me
  116. Resenha: The Sound Of Your Heart
  117. Resenha: Stranger / Secret Forest
  118. Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.
  119. Resenha: Strongest Deliveryman
  120. Resenha: Sukina Hito Ga Iru Koto
  121. Resenha: Tazza – Uma Cartada Mortal
  122. Resenha: The Villainess – A Vilã
  123. Resenha: Train to Busan – Invasão Zumbi
  124. Resenha: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
  125. Resenha: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo
  126. Clube do Livro: Prince Of Thorns
  127. Review: Canetas Aquareladas Dual Art Marker. Foi paixão ou decepção?
  128. Serie: Alias Grace
  129. Resenha: Shining Inheritance – Meu Dorama Favorito
  130. Sonata em Punk Rock. Musica clássica ou Punk Rock, eis a questão.
  131. Tá na Crise? Como ser uma Bookaholic econômica.
  132. TAG: Liebster Award
  133. TAG: Se eu fosse um Ser Imaginário
  134. Teu problema não é bloqueio criativo e sim procrastinar.
  135. The Battleship Island, uma emocionante batalha por liberdade.
  136. The lights divided
  137. Uma Indicação fod*tica, Não sou um homem fácil
  138. Vale a pena ter um blog em 2018
  139. VIPs : A historia do vigarista que enganou Amaury Jr
  140. Wishlist Literária – Janeiro
  141. Zeide: A Travessia de um Judeu entre nações e gerações
Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras

Olá Girafinhas

Tudo bem? Ah, comigo sim, melhor agora. Desde que Nerve – Um Jogo Sem Regras estreou nos cinemas que tive curiosidade para conferir essa produção. Porém, com o tempo a vontade foi passando e acabei  deixando-o de lado. Essas semanas, com a criação de um Desafio na internet que todos já devem estarem manjados de saberem, A Baleia Azul, a vontade ressurgiu. Para completar, Netflix pareceu ler a minha mente, já que há poucos dias tinham disponibilizado o filme. Enfim, o que posso falar de antemão é que faz jus aos elogios e merece sim, algumas das pequenas críticas.

Nome: Nernve – Um Jogo Sem Regras

Diretor: Ariel Schulman, Henry Joost
Roteirista: Jessica Sharzer
Ano: 2016
País: EUA
Duração: 96 min
Gênero: Mistério, Thriller, Romance
Sinopse: A tímida Vee DeMarco (Emma Roberts) é uma garota comum, prestes a sair do ensino médio e sonhando em ir para a faculdade. Após uma discussão com sua até então amiga Sydney (Emily Meade), ela resolve provar que tem atitude e decide se inscrever no Nerve, um jogo online onde as pessoas precisam executar tarefas ordenadas pelos próprios participantes. O Nerve é dividido entre observadores e jogadores, sendo que os primeiros decidem as tarefas a serem realizadas e os demais as executam (ou não). Logo em seu primeiro desafio Vee conhece Ian (Dave Franco), um jogador de passado obscuro. Juntos, eles logo caem nas graças dos observadores, que passam a enviar cada vez mais tarefas para o casal em potencial.

Nerve – Um Jogo Sem Regra tem uma premissa muito boa e em parte ele cumpre com o prometido. Trás a tona os perigos da internet. Afinal, o anonimato dar coragem para as pessoas agirem contra a ética. Por incrível que pareça, desafios arriscados como esse, são comuns nas redes sociais e o filme tenta mostrar como a busca por adrenalidade e “popularidade” pode dar muito errado. O enredo teve um bom fluxo e embora ache que tenha dado umas escorregadinhas em algumas partes, não me deixei levar por isso. O final foi um tanto rápido e fiquei sentido como se alguma tivesse ficado de fora. Não, não teve pontas soltas, porém pareceu que as coisas terminaram de uma maneira “fácil” demais.

Vee é uma garota tímida que se ver na sombra de sua melhor amiga, Sydney, uma garota bastante popular. Ela possui uma queda por um colega de escola, porém não consegue se confessar para ele. Sua amiga estar jogando Nerve e vive dizendo para que ela comece a se arriscar mais, como ultima tentativa Sydney fala para o “Crush” da Vee sobre seu interesse no rapaz. No entanto, ele acaba dando um fora na garota. Arrasada e com raiva da amiga, por impulso se inscreve no jogo Nerve como jogadora, afim de provar que também pode ter atitude. No seu primeiro desafio, conhece Ian, outro jogador e como a dupla caiu nas graças dos observadores, eles se unem. Agora, os dois terão de enfrentar desafios cada vez mais difíceis até o fim do jogo.

Antes de mais nada vou explicar como funciona o Nerve. O jogo é dividido em três modalidades, Observador, Jogador e Prisoneiro, os observadores escolhem os desafios e os jogadores devem cumpri-los para permanecerem no jogo, além é claro, de ganharem uma quantia para cada desafio cumprido. fora que devem serem filmados para que seja válido. Só há três maneiras de sair do jogo, uma é ganhando, outra é desistindo e a ultima é fracassando, para as duas ultimas, o dinheiro ganhado durante os desafios são tomados de volta. Uma das Regras fundamentais é que Dedo-Duro são castigados e ai é que entra a modalidade Prisoneiro, os prisoneiros são aqueles que falaram sobre o jogo para alguma autoridade e como consequência sofrem um castigo, deixarei para que vocês descubram quando foram assistir.

Com as instruções explicadas, vamos para os personagens… Depois que ficou com o coração partido e com raiva da amiga, Vee por impulso se inscreve no jogo Nerve. Uma personagem um tanto retraída. que ao entrar no desafio tenta provar para os outros e para si mesma que pode ser corajosa. O que era para ser uma partida inocente, torna-se uma noite repleta de adrenalina. Isso porque, seu primeiro desafio era beijar um desconhecido e por pura coincidência, acaba beijando um outro jogador. Os observadores acabam gostando do suposto casal e passam a elaborarem tarefas para ambos.

O seu companheiro do Nerve se chama Ian, um rapaz misterioso, guarda um segredo que é a razão pela qual ele deve ganhar o jogo. É um tanto estranho, ver Vee uma garota tão cuidadosa, passar a noite junto a um “estranho”. Pelo menos, Ian é um cara legal e “confiável”. Embora, não se trate de um romance propriamente dito, gostei de ver-los juntos e os desafios foram uma boa maneira de desenvolver o relacionamento deles. No entanto, o filme não foca somente nisso, o roteiro vai muito além disso.

A história propõem mostrar os perigos dos famosos desafios da internet e como a busca excessiva pela fama pode trazer consequências irreversíveis. Um dos exemplos que tenho a citar é a amiga de Vee, Sydney, uma jovem que fazia tudo pela popularidade e que passou a se sentir mal quando sua “sombra” ganhou mais espaço. Além disso, temos os observadores, que estimulavam o jogo e ditavam desafios que poderiam levar a morte dos jogadores. Pessoas que estavam protegidas pelo anonimato e por conta disso se sentiam seguras para “machucarem” o próximo. Algo que por incrível que pareça, condiz com a nossa realidade.

O filme é um bom entretenimento e sim, possui uma boa mensagem, porém tenho que dizer que em alguns momentos deixou a desejar. Fora o final, não me apeguei as outras falhazinhas, mas preciso ressaltar que o desfecho deixou a desejar. Em razão da facilidade que as coisas foram resolvidas e da rapidez que os acontecimentos aconteceram, pois tudo se passou em apenas uma noite. Afinal, Nerve é um jogo perigoso e foi derrubado em apenas algumas horas. Pode ser até erro meu, mas senti que o roteiro poderia ter explorado melhor nessa parte. Sei, sei, eles tiveram a ajuda de Hackers de vários Hackers, mas mesmo assim, deixou aquele sentimento.

Conclusão

 

Se você estar a procura de um bom filme para assistir nas horas vagas, Nerve – Um Jogo Sem Regras é uma boa opção. Tirando a parte do final, o roteiro tem um bom fluxo e gostei de ver os personagens enfrentado os desafios. Nerve, trás uma boa mensagem e de certa forma foi bem explorada.

 

Comentários
Tags: ,
19 anos com carinha de 15 e ossos de 80. Vivo me aventurando em historias fantasísticas, na qual uma hora sou uma tributo na outra sou uma mochileira das galaxias. Estudante de Artes Visuais, amo desenhar e escrever, meu sonho de princesa é ser quadrinista ou trabalhar na Pixar. No blog, compartilho minhas paixões por livros, filmes e doramas. O Meio Assimétrica, está repleto de surtos e desabafos sobre meu cotidiano... Convido você a conhecer mais sobre esse cantinho, então se aconchegue ai.

Related Article

25 Comments

Bia Lourenço maio 17, 2017 at 1:00 pm

Tenho muita curiosidade de ver esse filme, mas eu não gosto da Emma Roberts e isso tem me impedido.
Gostei muito da sua resenha, acho que vou me esforçar e assistir esse, o assunto é muito propicio e interessante.

    Ana Letícia maio 20, 2017 at 8:54 pm

    Olá Bia. Por não ter muito conhecimento sobre o elenco, não tive esse empecilho. Gostei da atuação, não achei forçado e um tanto natural. O tema é bem interessante, espero que goste.

Graziella santos maio 16, 2017 at 10:18 pm

Eu estou louca para assistir esse filme, apesar de achar a Emma Roberts meio fraca em atuação. Mas o que mais me chama a atenção é os temas que ele aborda, vou colocar na minha lista! Ótima resenha!

Nilda de Souza maio 16, 2017 at 1:31 am

Eu soube desse filme por causa da jogo da vida real. Bom, gostei da forma com você colocou os pontos fortes e fracos do filme, assim pude ver que não preciso não é um filme que me atraia. Talvez por eu não ser o publico alvo.

Beijos

Nati Rabelo maio 15, 2017 at 8:30 pm

Oie!
Ele não é um filme que me chamou atenção.
Mesmo você dizendo que vale a pena pelo geral, essa coisa do final decepcionar sempre desanima ne. Gosto do Dave, mas provavelmente será um filme que não verei nem tão cedo rs
Beijos <3

Nati Rabelo maio 15, 2017 at 8:28 pm

Oie!
Ele não é um filme que me chamou atenção. Eu poderia até assistir, mas não por agora rs.
Beijos <3

Mia maio 15, 2017 at 6:09 pm

Nem sabia da existência desse filme mas, apesar de você dizer que é um filme bacana pra passar o tempo, não é o tipo de coisa que gosto de ver, então vou deixar passar. Gosto da Emma Roberts, mas o enredo não me atraiu, não.

;*

Vân maio 15, 2017 at 12:33 pm

Acho válido a temática sobre os perigos da internet. Não tive a oportunidade de assistí-lo no cinema, mas adicionei na lista para assistir na Netflix e ver se gosto 🙂

Tary Belmont maio 15, 2017 at 12:13 am

Eu queria muito ter visto esse filme no cinema, mas acabei não conseguindo. Vi ontem mesmo na Netflix. Eu achei o filme muito bom, o comportamento dos ‘observadores” é o mesmo que presenciamos dos babacas que se protegem pelo anonimato da internet, muita coisa ali é bem real. Mas eu gostei do final, ache que foi coerente, talvez um pouco clichê, mas achei um final bom.

Bites!

Eduarda Garcia maio 14, 2017 at 11:53 pm

Já assisti, mas não sei algo me fez parar no meio do filme e voltar a assistir só no outro dia, acho que minha expectativa estava muito alta para assistir o filme, e esse foi o problema, por que o filme não é ruim!

    Ana Letícia maio 17, 2017 at 12:39 pm

    Olá Eduarda. É muito chato quando criamos expectativas e acabamos nos decepcionando, por isso sempre tento evitar, mas as vezes é meio que impossível. O filme não é ruim, porém poderia ter sido melhor.

Viviane Oliveira maio 14, 2017 at 10:57 pm

Eu também tinha/tenho a curiosidade de assistir esse filme desde quando estreou nos cinemas e quando eu vi que chegou no catálogo a vontade só aumentou. Mas agora fiquei meio bléh com a sua crítica, porém te agradeço desde já por ter preparado o meu coração para não criar expectativas quando for assistir, então muito obrigada <3 HAHA

Beijos da Supimpa Girl

    Ana Letícia maio 17, 2017 at 12:41 pm

    Olá Viviane. De nada, sempre tento dizer os pontos positivos e negativos para preparar meus leitores, fico feliz que tenha gostado da resenha

Ana maio 14, 2017 at 9:45 pm

Olá Thaina. Sou um pouco por fora sobre atores americanos, por isso não levei muito em conta o elenco, embora tenha gostado da atuação de Dave Franco em Um Truque de Mestre.Fico feliz que minha resenha tenha lhe deixado com vontade de assistir, espero sinceramente que goste.

Andressa Souza maio 14, 2017 at 9:20 pm

Entrei e saí do clima pra assistir com a sua resenha. Tudo bem dizer que ficou decepcionada com o desfecho, mas não precisava dizer QUAL É o desfecho :/

    Ana maio 14, 2017 at 9:32 pm

    Olá Andressa. Tudo bem? Sinto muito se por algum motivo entreguei o final, só quis explicar o porque de ter ficado decepcionada, não era minha intenção dizer qual era o desfecho.

Rubyane maio 14, 2017 at 6:54 pm

Fiquei com vontade de ver esse filme assim que vi o trailer (pouco antes do filme se lançado nos cinemas) e fiquei bem feliz quando vi que ele iria ser disponibilizado pela Netflix, mas até agora ainda não assisti ele haha
Seu post me deixou mais animada, vou ver se assisto esse filme ainda essa semana.

    Ana maio 14, 2017 at 9:34 pm

    Olá Rubyane. Fico feliz que minha Resenha tenha lhe deixado animada, o filme vale a pena e espero que goste quando for assistir

Leh Pimenta maio 14, 2017 at 4:47 pm

Quando vi Never fiquei bem assustada com as provas e o que as pessoas são capazes de fazer por popularidade na internet e por dinheiro, mas também achei que ele deve ser visto por todos, para entender os perigos da internet e como vc mesmo disse a coragem sem ética que da as pessoas.

http://www.coisasdemineira.com

    Ana maio 14, 2017 at 9:35 pm

    Olá Leh. Tive a mesma sensação que você, seria ótimo que as pessoas dessem uma olhada no filme e absorvessem a mensagem. Obrigada pelo comentário.

Júlia maio 14, 2017 at 4:07 pm

Eu assisti Nerve ano passado no cinema (foi bem por acaso, eu nem conhecia o filme) e gostei bastante. Eu sabia todas as músicas da trilha sonora de cor e já tinha visto outros trabalhos dos atores principais, mas mesmo assim foi uma boa surpresa. Achei que o filme aborda uma distopia tão distante assim e que traz alguns pontos bem importantes na relação privacidade&internet&psicologiahumana mas mesmo assim é bem “deboa” pra assistir 😀
Beijos,
Ju!

http://naosepreocupecomisso.blogspot.com.br/

    Ana maio 14, 2017 at 9:39 pm

    Olá Júlia, tudo bem? Realmente a trilha sonora do filme estava maravilhosa, assim como o cenário estava bem construído. A história tanto entrete quanto trás boas lições. ^-^

Mari maio 14, 2017 at 2:06 pm

Fiquei curiosa sobre esse filme, mas com um pé atrás por você ter dito que o desfecho não é tão bom assim. Acho o tema bastante atual e realmente traz à tona várias discussões importantes.
Beijos
Mari
http://www.pequenosretalhos.com

    Ana maio 14, 2017 at 9:42 pm

    Olá Mari. Quando li outras resenhas que demonstravam a mesma insastifação com o final, fiquei com a mesma duvida cruel, porém se colocamos na balança, o filme vale mesmo a pena. O final pode não ser do nível da produção, mas também não é algo assim tão ruim, por isso dar para relevar.

Thainá Christine maio 12, 2017 at 7:05 pm

Olá!
Eu gosto bastante dos trabalhos do Dave Franco, quando vi o trailer de Nerve fiquei bastante curiosa, porém, infelizmente, eu acho a atuação da Emma Roberts bem fraca, ao menos nos filmes/série que assisti dela. Eu gostei da sua resenha e estou aqui pensando se dou uma chance para o filme, afinal, agora faz parte do catálogo da Netflix, então está bem mais acessível e prático, rs. De qualquer forma, guardarei a indicação.

Leave a Comment