Clube do Livro: Prince Of Thorns

- Livro

Olá Girafinhas

Tudo bem? Entrei em um Clube de Livros e o gênero escolhido desse mês é Fantasia, foi uma experiencia nova, já que não sou acostumada com esse estilo. Confesso que fiquei um pouco perdida, então andei pesquisando no Google, até que encontrei a Trilogia Espinho e achei a premissa interessante. Adorei ter participado do projeto, pois pude ler algo um tanto diferente do que gosto. Porém, tenho que admitir que embora queira continuar a trilogia, não consegui me apegar aos personagens e nem a própria historia.

Nome: Prince Of Thorns
Autor: Mark Lawrence
Editora: Darkside
Ano: 2013

Gênero: Fantasia e Aventura
Paginas: 364
Sinopse: Tem início a Trilogia dos Espinhos: Ainda criança, o príncipe Honório Jorg Ancrath testemunhou o brutal assassinato da rainha-mãe e de seu irmão caçula, William. Jorg não conseguiu defender sua família, nem fugir do horror. Jogado à sorte num arbusto de roseira-brava, ele permaneceu imobilizado pelos espinhos que rasgavam profundamente sua pele, e sua alma. O príncipe dos Espinhos se vê, então, obrigado a amadurecer para saciar o seu desejo de vingança e poder. Vagando pelas estradas do Império Destruído, Jorg Ancrath lidera uma irmandade de assassinos, e sua única intenção é vencer o jogo. O jogo que os espinhos lhe ensinaram.

De todos os títulos possíveis não é de admirar que tenha escolhido Prince Of Thorns, afinal estar mais próximo das leituras que estou familiarizada. Uma narrativa que segue uma linha um tanto obscura, tem um clima pesado e estar repleta de cenas sanguinárias. Demorou um pouco até me acostumar com o estilo do autor, haja visto que começou de maneira espontânea e aos poucos os elementos foram se encaixando. Sinceramente, não consegui me apegar aos personagens e nem a história em si. Pode ter sido pelo fato de ser o primeiro da trilogia e mais a frente talvez caia nos encantos da trama.

“Eu deixara o Nubano tecer uma dúzia de longas tranças em mim, com um amuleto de bronze no final de cada uma. Ele disse que isso afastaria os maus espíritos. Eu só teria que me preocupar com os bons.”

Jorg teve que ver o assassinato de sua mãe e de seu irmão quando criança. Além da dor da perda, seu maior sofrimento foi não ter conseguido fazer nada, por causa que estava preso em uma roseira repleta de espinhos que lhe marcaram. Aquele dia o transformara, roubara sua inocência de criança, restando apenas um ser vingativo e sem qualquer escrúpulo. Ao contrário dos típicos heróis, Jorg não tinha qualquer consideração pela vida do próximo e usara de seu trauma de infância para se revoltar contra o mundo. É um tanto difícil ter empatia por um personagem tão cruel, porém aos poucos vamos conhecendo o seu lado e somente após uma revelação, conseguimos enfim começar a entende-lo.

Além de Jorg, poucos personagens conseguiram grande destaques na história. Assim como, havia um grande numero de irmãos e foi um tanto complicado assimilar todos, mas que no decorrer até que peguei o jeito. Dos irmãos, temos dois que conseguiram se sobressair ao bando, Nubano e Markin. Nubano, é um homem sábio que conheceu Jorg quando esse ainda era garoto, devido a uma divida de vida, resolvera ajuda-lo com sua vingança. Um personagem, que era uma especie de voz da consciência do principal, embora fosse ignorado as vezes, continuava lá para como apoio. Já Markin, é o braço direito de Jorg, um cara habilidoso com a espada e um bom auxiliar na hora de elaborar estratégicas, sem esquecer do seu bom humor.

 

“Eu disse a Bovid Tor que aos quinze eu serei rei. Eu jurei sobre as suas entranhas fumegantes. Agora estou dizendo que aos vinte anos serei imperador”

É evidente como Jorg evolui na trama e aos poucos vai se tornando mais “humano”. É estranho dizer que não consegui me apegar a trama e nem ao personagem principal, haja visto que Jorg foi aprofundado na história.  A narrativa teve uma linguagem simples e objetiva. Mesmo que no começo tenha sido um tanto rápida, teve um bom fluxo.

Conclusão

Antes de começar a leitura esteja ciente de que a história tem um clima pesado, ou seja, se você é sensível a sangue, é melhor evitar. A narrativa é de fácil leitura, em razão de sua escrita simples e jovial. O personagem é bem diferente do comum e teve um bom aprofundamento na trama. No começo, podemos estranhar a tamanha crueldade deste, porém espere que logo descobrirá a verdade por trás de tudo. Ok, mesmo assim é um tanto difícil sentir empatia por ele, mas claro que seu desenvolvimento, torna as coisas mais fáceis de simpatizar.

Nota

Previous Story
Next Story

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Mari
    June 5, 2017 at 1:58 pm

    Nunca tinha lido sobre o que era essa história, e parece mesmo uma fantasia cheia de temas mais sombrios. Sinceramente, eu teria dificuldades de ler se não me apegasse ao personagem principal e pelas características dele que você citou, eu provavelmente não me apegaria. Ainda assim, acredito que deva ser uma ótima leitura para quem prefere algo um pouco mais dark.
    Beijos
    Mari
    http://www.pequenosretalhos.com

  • Leave a Reply