1. 10 Coisas que espantam qualquer leitor de um blog
  2. 10 Motivos para assistir Abnormal Summit
  3. 10 Dicas para fazer uma boa Resenha
  4. 3 Decepções Literárias
  5. 4 Clichês que nunca perdem a graça
  6. 5 Coisas que viciados em Livros já deve ter passado
  7. 5 Comédias Românticas Que Fogem aos Padrões
  8. 5 Doramas para te encher de Fofura
  9. 5 Filmes coreanos para assistir nas férias.
  10. 5 Filmes de Época para se apaixonar
  11. 5 Motivos para assistir Re: mind
  12. 52 Filmes em 52 Dias: As Sufragistas
  13. 52 Filmes em 52 Semanas: Marathon
  14. 6 Motivos para ler Extraordinário
  15. 7 Motivos para se apaixonar por I’m Not a Robot
  16. Acabe com a Neura do Layout Perfeito
  17. Resenha: Alice – Boy From Wonderland
  18. Show do Asian Kung Fu Generation em Fortaleza ( Um Sonho Realizado)
  19. Resenha: As Travessuras de uma Sereia
  20. Blogagem Coletiva: 3 Top das Galáxias
  21. Blogagem Coletiva: O que aprendi com a minha mãe
  22. Bora economizar? Aprenda a usar o Cupom Válido.
  23. Cantores que você precisa conhecer
  24. Capitão Fantástico e O Palhaço – Dois Filmes para por no pontinho
  25. Coisas que você precisa saber antes de migrar para o WordPress
  26. Conheça a animação nacional Até que a Sbornia nos Separe
  27. Conheça a tocante historia de Com amor, Van Gogh.
  28. Conheça a Ilustradora Daieny Schuttz.
  29. Conheça nossa nova parceira a autora Nina Spim.
  30. Conheça Wanna One e o programa que o formou – Produce 101 Season 2
  31. Conta Premium – Dramafever X VIKI
  32. Dar para se amar sendo fora do Padrão, beleza?
  33. DEAN aquele cantor que todo mundo precisa escutar
  34. Death Note: Iluminando um Novo Mundo. Uma nova historia com a mesma essência.
  35. Desafio: 12 meses Literários
  36. Desafio: 52 Filmes em 52 Semanas
  37. Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada
  38. Doramas que precisam de Segunda temporada para já!
  39. 5 Doramas psicológicos que você tem que assistir
  40. Edição Econômica X Edição Normal – Qual vale a pena?
  41. Especial Dias das Mães: Indicação de Filmes
  42. Estreias de Doramas: Janeiro e Fevereiro 2017
  43. Faça edições incríveis com o Canva
  44. Filme: Judge
  45. Fragmentos do Horror – Horror em forma de arte
  46. Guia: Doramas para Iniciantes – Parte 1
  47. Para que plagiar se pode encontrar imagens de graça?
  48. Indicação: 5 Doramas que andei assistindo e recomendo.
  49. Lápis de cor Leo&Leo valem a pena?
  50. Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.
  51. Minhas Próximas Leituras
  52. Moana: Um Mar de Aventuras
  53. O que 2017 me deixou?
  54. O que andei assistindo…
  55. O que andou acontecendo na minha vida nesse período.
  56. O que tem na minha estante? Minhas Capas favoritas.
  57. Resenha: O Lar das Crianças Peculiares
  58. Onde assistir Doramas? Os Melhores Fanbub’s e App’s para te ajudar.
  59. Passe a Sexta- Feira 13 com a Saga Uma Noite de Crime
  60. Por que é importante não ter medo de mudar?
  61. Porque a nova cara do clichê é tão necessária.
  62. Precisamos falar sobre a musica Instagram do DEAN
  63. Presence of the Almighty
  64. Presentes para O Dia dos Pais
  65. Querido(a) Blogueiro(a), mais respeito pelo trabalho dos colegas.
  66. Resenha: Rebel- Thief Of The People
  67. Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês
  68. Resenha: A Bela e a Fera – Livro
  69. Resenha: A Elite
  70. Resenha: A Escolha
  71. Resenha: A Seleção
  72. Resenha: Achados e Perdido. – A Literatura pode mudar vidas.
  73. Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme
  74. Resenha: Até que a Culpa nos Separe
  75. Resenha: Atypical
  76. Resenha: Battle Royale
  77. Resenha: Caraval
  78. Resenha: Cart
  79. Resenha: A Casa Vazia
  80. Resenha: Chicago Typewriter
  81. Resenha: Circle
  82. Resenha: Corte de Espinhos e Rosas
  83. Resenha: Corte de Névoa e Fúria
  84. Resenha: Deixe-me Em Paz
  85. Resenha: El Bar
  86. Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas
  87. Resenha: Goblin – The Lonely and Great God
  88. Resenha: Good Doctor
  89. Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
  90. Resenha: Hush – A Morte Ouve
  91. Resenha: Hwayi: A Monster Boy
  92. Resenha: Hyung
  93. Resenha: Koe no Katachi / A Silent Voice
  94. Resenha: Las Chicas del Cable
  95. Resenha: Las Chicas del Cable – 2° Temporada
  96. Resenha: Liar Game versão Coreana
  97. Resenha: Lion – Uma Jornada Para Casa
  98. Resenha: A Longa Marcha
  99. Resenha: Lookout
  100. Resenha: Moon Lovers Scarlet Heart Ryeo
  101. Resenha: My Wife’s having an affair Week
  102. Resenha: Naked Fireman
  103. Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras
  104. Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias
  105. Resenha: O Menino da Lista de Schindler
  106. Resenha: O Mínimo Para Viver
  107. Resenha: O Nevoeiro, mais uma decepção para lista.
  108. Resenha: O Sorriso da Hiena – Os Fins justificam os meios?
  109. Resenha: Oh My Venus
  110. Resenha: Pandora
  111. Resenha: Princess Hours Thai
  112. Resenha: Reportagem Exclusiva
  113. Resenha: Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal
  114. Resenha: Rotas de Fuga
  115. Resenha: Save Me
  116. Resenha: The Sound Of Your Heart
  117. Resenha: Stranger / Secret Forest
  118. Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.
  119. Resenha: Strongest Deliveryman
  120. Resenha: Sukina Hito Ga Iru Koto
  121. Resenha: Tazza – Uma Cartada Mortal
  122. Resenha: The Villainess – A Vilã
  123. Resenha: Train to Busan – Invasão Zumbi
  124. Resenha: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
  125. Resenha: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo
  126. Clube do Livro: Prince Of Thorns
  127. Review: Canetas Aquareladas Dual Art Marker. Foi paixão ou decepção?
  128. Serie: Alias Grace
  129. Resenha: Shining Inheritance – Meu Dorama Favorito
  130. Sonata em Punk Rock. Musica clássica ou Punk Rock, eis a questão.
  131. Tá na Crise? Como ser uma Bookaholic econômica.
  132. TAG: Liebster Award
  133. TAG: Se eu fosse um Ser Imaginário
  134. Teu problema não é bloqueio criativo e sim procrastinar.
  135. The Battleship Island, uma emocionante batalha por liberdade.
  136. The lights divided
  137. Uma Indicação fod*tica, Não sou um homem fácil
  138. Vale a pena ter um blog em 2018
  139. VIPs : A historia do vigarista que enganou Amaury Jr
  140. Wishlist Literária – Janeiro
  141. Zeide: A Travessia de um Judeu entre nações e gerações
Resenha: O Menino da Lista de Schindler

Olá Girafinhas

Para os amantes de Historia, como eu, trago a resenha de O Menino da Lista de Schindler, uma história cativante. Já fazia seculos que havia pegado esse livro emprestado da minha irmã, mas por algum motivo sempre adiava. Em Junho, diga-se de passagem o melhor mês das minhas leituras, peguei finalmente esse livro para ler e acabei me apaixonado por ele. Só agora consegui trazer a Resenhas para vocês, além dele estou preparando a do Battle Royale ( Devorei o livro em uma semana).

Nome: O Menino da Lista de Schindler

Autores: Leon Leyson com Marilyn J. Harran e Elisabeth

Editora: Rocco

Ano: 2014

Gênero: Historia, Drama e Biografia

Paginas: 256

Sinopse: Misto de biografia e romance de formação, O menino da lista de Schindler acompanha a trajetória de Leon Leyson, o mais jovem integrante e um dos últimos sobreviventes da famosa lista de judeus salvos pelo empresário alemão Oskar Schindler durante a Segunda Guerra Mundial. Intenso como O diário de Anne Frank, o livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores depois de alcançar a prestigiosa lista dos mais vendidos do jornal The New York Times, e oferece uma perspectiva única do Holocausto. Um relato emocionante, corajoso e humano que precisa ser contado às novas gerações.

 

Como amante das histórias que se passam nas duas Guerras Mundiais, O Menino da Lista de Schindler, conseguiu me mostrar os males do nazismo de uma outra forma, haja visto que é narrado na perspectiva de uma criança. A narrativa começa tempos antes da guerra estourar e os acontecimentos são narrados por Leon Leyson, um personagem cativante. ( Adoraria conhecer-lo).  A trama é rica em detalhes e possui uma escrita simples e leve, o que de alguma forma diminuiu o impacto do terror do Holocausto. É horrível como algo tão cruel possa ter acontecido de verdade e saber que pessoas inocentes morreram de forma desumana é lamentável.

Leon Leyson era um garoto alegre e divertido que vivia brincando com seus amiguinhos da rua. Tudo parecia estar dando certo para sua família, seu pai arrumará um bom emprego e agora estavam vivendo na cidade grande. No entanto, dias difíceis estavam por vim, com a chegada do nazismo no seu país a vida dos judeus estava ficando cada vez mais difícil.

 

O Livro foi uma grande surpresa para mim, não espera me apaixonar por ele. Agora me corta o coração ter que devolve-lo para minha irmã. A narrativa é rica em historia e conta com detalhes a vida dos Judeus na chegado do Nazismo. Leon um garoto que teve sua vida transformada drasticamente, nunca perdera as esperanças. Em meio aquele cenário assustador ainda mantinha-se  com a essência de criança. Assim como sua família se moldava as circunstancias para manterem-se vivos.

“Passei a noite com estranhos, encolhido no chão frio, assutado e absolutamente sozinho, feliz por não ter levado um tiro”

A história segue por estágios, no começo conhecemos a vida da família de Leon antes de irem para a cidade. Depois nos deparamos com as descobertas do garoto em meio a modernidade da vida urbana. Aos poucos com a aproximação do Nazismo, mostra como os Judeus foram perdendo os seus direitos. Ao começar pela educação, já que foram proibidos de irem as escolas, além disso tiveram seus bens confiscados. Isso foi de menos comparado com a ida ao Gueto. Uma cidade onde os Judeus eram obrigados a viverem em situações precárias. Para a sorte da família, o pai de Leon consegue um novo emprego na empresa do empresário Schindler.

Para quem não conhece a história de Schindler… Ele foi um empresario Nazista que salvou a vida de 1200 Judeus, entre eles, Leon e parte de sua família. Quando contratou o pai de Leon, estava na época em que judeus desempregados ou sem serventia eram levados para os campos de concentração. Infelizmente um dos irmãos de Leon não teve a mesma sorte que seu pai e foi levado pelos oficiais. Mais tarde, outra irmão de Leon conseguira o emprego na fabrica e assim trouxe mais “tranquilidade” para a família.

“Quando Saí do gueto, com seus muros coroados de lápides, e andei pelas ruas de Cracóvia, fiquei perplexo ao ver que a vida parecia idêntica à que eu conhecera antes de entrar lá”

Não quero falar muito da história do livro para acabar dando algum spoiler, até porque sinto que já falei demais. Só posso adiantar que Schindler foi de extrema importância para a vida de milhares de Judeus. Embora a historia não gire em torno dele, é evidente a tamanha admiração de Leon para com ele. Leon? O que falar desse personagem que tanto me cativou? Mesmo que tenha tido sua infância roubada e tivesse de amadurecer para o bem da família, ainda mantinha um pouco da inocência. Além disso, fazia de tudo para ser útil tanto para ajudar sua família quanto para evitar o pior.

 

Conclusão

 

O Menino da Lista de Schindler é um livro memorável, possui uma narrativa simples e de fácil compreensão.  Além disso, é rico em detalhes históricos, o que me levou para dentro da época. Era fácil imaginar as cenas vividas pelos personagens, como também, sentir empatia por eles. Uma das partes mais bonita que achei, pode não ter feito parte do livro em si, mas foi o depoimento dos filhos de Leon. Foi emocionante saber mais sobre ele, depois da parte triste de sua história. Enfim, é um livro cativante que vale a pena ler.

 

 

 

Comentários
Tags: ,
19 anos com carinha de 15 e ossos de 80. Vivo me aventurando em historias fantasísticas, na qual uma hora sou uma tributo na outra sou uma mochileira das galaxias. Estudante de Artes Visuais, amo desenhar e escrever, meu sonho de princesa é ser quadrinista ou trabalhar na Pixar. No blog, compartilho minhas paixões por livros, filmes e doramas. O Meio Assimétrica, está repleto de surtos e desabafos sobre meu cotidiano... Convido você a conhecer mais sobre esse cantinho, então se aconchegue ai.

Related Article

6 Comments

Douglas julho 21, 2017 at 12:44 am

Então… Confesso que fiquei um pouco assustado quando comecei a ler e fui chamado de girafinha, mas, decidi continuar lendo.. Kk
Eu estudei bastante sobre esse tempo onde o Nazismo predominou especialmente em países europeus e levou à morte pessoas inocentes, mas, acredite: ainda hoje inocentes são assassinados brutalmente sem que essa notícia chegue a nós. Quem sabe, nossos netos ouvirão falar sobre os dias atuais e se surpreenderão com o que acontecia sob nossos narizes, assim como nós nos surpreendemos ao olhar para o passado histórico.
É simplesmente lamentável.
Sobre o livro, realmente parece ser muito bom. Apesar de não ser um dos meus tipos preferidos de leitura, quem sabe eu me depare com ele por aí, e já terei uma breve noção de se tratar de uma boa leitura.
Um abraço.
http://ocoracaodomenino.blogspot.com

Mari julho 20, 2017 at 9:12 pm

Eu sempre fico meio apreensiva de ler livros que retratem a segunda guerra mundial pelos olhos de criança, acho que fico bastante abalada com essa temática, mas isso não me impede de ler algumas obras nesse sentido.
Beijos
Mari
Pequenos Retalhos

Yuri S julho 19, 2017 at 2:23 pm

Eu gosto muito de história, me interessei pelo livro! Parece uma mistura de O Menino do Pijama Listrado, A Lista de Schindler e O Diário de Anne Frank, haha. As histórias dessa época são muito tristes e assustadoras, não consigo imaginar o que essas pessoas passaram na pele. Vou colocar na lista pra ler!

TaryBelmont julho 19, 2017 at 4:21 am

Eu conheço muitas histórias que se passam na Segunda Guerra, mas não li, a unica foi foi A Menina que Roubava Livros. Mas este e “O Diário de Anne Frankie” são muito mais intensos por serem reais. Não consigo imaginar o que essas pessoas passaram, o Nazismo foi o pior mal que a humanidade já enfrentou e imagino que deve ser muito tenso ler sobre. Vou colocar na minha lista.

Bites!

Thainá Christine julho 18, 2017 at 7:10 pm

Olá!
Primeiro queria dizer que adorei a resenha! Você me deixou com vontade de furar toda a minha meta de leitura e entrar de cabeça nessa história tão triste, porém, tão cativante ao mesmo tempo. Já tinha ouvido falar desse livro, mas, admito que nunca tinha parado para saber um pouco sobre ele, então, só sabia que era uma história que se passava durante a Segunda Guerra Mundial, um dos momentos históricos que mais gosto de saber sobre. Sempre fico chocada a cada relato que leio das pessoas que sofreram nas mãos dos nazistas, às vezes é difícil acreditar que existem pessoas tão desumanas e ruins no mundo.
Vou anotar a dica de leitura!

Vickawaii julho 18, 2017 at 4:10 am

Eu adoro mídias sobre a Segunda Guerra em geral e acho muito interessante quando a “história” é contada sob a perspectiva de uma criança, como ocorre em O Menino do Pijama Listrado. Acho que esse tipo de leitura é forte, mas é bastante importante para não esquecermos o passado. Fiquei com vontade de ler, parabéns pela resenha :3

Leave a Comment