Resenha: O Menino da Lista de Schindler

. 6 Comentários .
In Livro

Olá Girafinhas

Para os amantes de Historia, como eu, trago a resenha de O Menino da Lista de Schindler, uma história cativante. Já fazia seculos que havia pegado esse livro emprestado da minha irmã, mas por algum motivo sempre adiava. Em Junho, diga-se de passagem o melhor mês das minhas leituras, peguei finalmente esse livro para ler e acabei me apaixonado por ele. Só agora consegui trazer a Resenhas para vocês, além dele estou preparando a do Battle Royale ( Devorei o livro em uma semana).

Nome: O Menino da Lista de Schindler

Autores: Leon Leyson com Marilyn J. Harran e Elisabeth

Editora: Rocco

Ano: 2014

Gênero: Historia, Drama e Biografia

Paginas: 256

Sinopse: Misto de biografia e romance de formação, O menino da lista de Schindler acompanha a trajetória de Leon Leyson, o mais jovem integrante e um dos últimos sobreviventes da famosa lista de judeus salvos pelo empresário alemão Oskar Schindler durante a Segunda Guerra Mundial. Intenso como O diário de Anne Frank, o livro chega ao Brasil pelo selo Rocco Jovens Leitores depois de alcançar a prestigiosa lista dos mais vendidos do jornal The New York Times, e oferece uma perspectiva única do Holocausto. Um relato emocionante, corajoso e humano que precisa ser contado às novas gerações.

 

Como amante das histórias que se passam nas duas Guerras Mundiais, O Menino da Lista de Schindler, conseguiu me mostrar os males do nazismo de uma outra forma, haja visto que é narrado na perspectiva de uma criança. A narrativa começa tempos antes da guerra estourar e os acontecimentos são narrados por Leon Leyson, um personagem cativante. ( Adoraria conhecer-lo).  A trama é rica em detalhes e possui uma escrita simples e leve, o que de alguma forma diminuiu o impacto do terror do Holocausto. É horrível como algo tão cruel possa ter acontecido de verdade e saber que pessoas inocentes morreram de forma desumana é lamentável.

Leon Leyson era um garoto alegre e divertido que vivia brincando com seus amiguinhos da rua. Tudo parecia estar dando certo para sua família, seu pai arrumará um bom emprego e agora estavam vivendo na cidade grande. No entanto, dias difíceis estavam por vim, com a chegada do nazismo no seu país a vida dos judeus estava ficando cada vez mais difícil.

 

O Livro foi uma grande surpresa para mim, não espera me apaixonar por ele. Agora me corta o coração ter que devolve-lo para minha irmã. A narrativa é rica em historia e conta com detalhes a vida dos Judeus na chegado do Nazismo. Leon um garoto que teve sua vida transformada drasticamente, nunca perdera as esperanças. Em meio aquele cenário assustador ainda mantinha-se  com a essência de criança. Assim como sua família se moldava as circunstancias para manterem-se vivos.

“Passei a noite com estranhos, encolhido no chão frio, assutado e absolutamente sozinho, feliz por não ter levado um tiro”

A história segue por estágios, no começo conhecemos a vida da família de Leon antes de irem para a cidade. Depois nos deparamos com as descobertas do garoto em meio a modernidade da vida urbana. Aos poucos com a aproximação do Nazismo, mostra como os Judeus foram perdendo os seus direitos. Ao começar pela educação, já que foram proibidos de irem as escolas, além disso tiveram seus bens confiscados. Isso foi de menos comparado com a ida ao Gueto. Uma cidade onde os Judeus eram obrigados a viverem em situações precárias. Para a sorte da família, o pai de Leon consegue um novo emprego na empresa do empresário Schindler.

Para quem não conhece a história de Schindler… Ele foi um empresario Nazista que salvou a vida de 1200 Judeus, entre eles, Leon e parte de sua família. Quando contratou o pai de Leon, estava na época em que judeus desempregados ou sem serventia eram levados para os campos de concentração. Infelizmente um dos irmãos de Leon não teve a mesma sorte que seu pai e foi levado pelos oficiais. Mais tarde, outra irmão de Leon conseguira o emprego na fabrica e assim trouxe mais “tranquilidade” para a família.

“Quando Saí do gueto, com seus muros coroados de lápides, e andei pelas ruas de Cracóvia, fiquei perplexo ao ver que a vida parecia idêntica à que eu conhecera antes de entrar lá”

Não quero falar muito da história do livro para acabar dando algum spoiler, até porque sinto que já falei demais. Só posso adiantar que Schindler foi de extrema importância para a vida de milhares de Judeus. Embora a historia não gire em torno dele, é evidente a tamanha admiração de Leon para com ele. Leon? O que falar desse personagem que tanto me cativou? Mesmo que tenha tido sua infância roubada e tivesse de amadurecer para o bem da família, ainda mantinha um pouco da inocência. Além disso, fazia de tudo para ser útil tanto para ajudar sua família quanto para evitar o pior.

 

Conclusão

 

O Menino da Lista de Schindler é um livro memorável, possui uma narrativa simples e de fácil compreensão.  Além disso, é rico em detalhes históricos, o que me levou para dentro da época. Era fácil imaginar as cenas vividas pelos personagens, como também, sentir empatia por eles. Uma das partes mais bonita que achei, pode não ter feito parte do livro em si, mas foi o depoimento dos filhos de Leon. Foi emocionante saber mais sobre ele, depois da parte triste de sua história. Enfim, é um livro cativante que vale a pena ler.

 

 

 

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply
    Douglas
    julho 21, 2017 at 12:44 am

    Então… Confesso que fiquei um pouco assustado quando comecei a ler e fui chamado de girafinha, mas, decidi continuar lendo.. Kk
    Eu estudei bastante sobre esse tempo onde o Nazismo predominou especialmente em países europeus e levou à morte pessoas inocentes, mas, acredite: ainda hoje inocentes são assassinados brutalmente sem que essa notícia chegue a nós. Quem sabe, nossos netos ouvirão falar sobre os dias atuais e se surpreenderão com o que acontecia sob nossos narizes, assim como nós nos surpreendemos ao olhar para o passado histórico.
    É simplesmente lamentável.
    Sobre o livro, realmente parece ser muito bom. Apesar de não ser um dos meus tipos preferidos de leitura, quem sabe eu me depare com ele por aí, e já terei uma breve noção de se tratar de uma boa leitura.
    Um abraço.
    http://ocoracaodomenino.blogspot.com

  • Reply
    Mari
    julho 20, 2017 at 9:12 pm

    Eu sempre fico meio apreensiva de ler livros que retratem a segunda guerra mundial pelos olhos de criança, acho que fico bastante abalada com essa temática, mas isso não me impede de ler algumas obras nesse sentido.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

  • Reply
    Yuri S
    julho 19, 2017 at 2:23 pm

    Eu gosto muito de história, me interessei pelo livro! Parece uma mistura de O Menino do Pijama Listrado, A Lista de Schindler e O Diário de Anne Frank, haha. As histórias dessa época são muito tristes e assustadoras, não consigo imaginar o que essas pessoas passaram na pele. Vou colocar na lista pra ler!

  • Reply
    TaryBelmont
    julho 19, 2017 at 4:21 am

    Eu conheço muitas histórias que se passam na Segunda Guerra, mas não li, a unica foi foi A Menina que Roubava Livros. Mas este e “O Diário de Anne Frankie” são muito mais intensos por serem reais. Não consigo imaginar o que essas pessoas passaram, o Nazismo foi o pior mal que a humanidade já enfrentou e imagino que deve ser muito tenso ler sobre. Vou colocar na minha lista.

    Bites!

  • Reply
    Thainá Christine
    julho 18, 2017 at 7:10 pm

    Olá!
    Primeiro queria dizer que adorei a resenha! Você me deixou com vontade de furar toda a minha meta de leitura e entrar de cabeça nessa história tão triste, porém, tão cativante ao mesmo tempo. Já tinha ouvido falar desse livro, mas, admito que nunca tinha parado para saber um pouco sobre ele, então, só sabia que era uma história que se passava durante a Segunda Guerra Mundial, um dos momentos históricos que mais gosto de saber sobre. Sempre fico chocada a cada relato que leio das pessoas que sofreram nas mãos dos nazistas, às vezes é difícil acreditar que existem pessoas tão desumanas e ruins no mundo.
    Vou anotar a dica de leitura!

  • Reply
    Vickawaii
    julho 18, 2017 at 4:10 am

    Eu adoro mídias sobre a Segunda Guerra em geral e acho muito interessante quando a “história” é contada sob a perspectiva de uma criança, como ocorre em O Menino do Pijama Listrado. Acho que esse tipo de leitura é forte, mas é bastante importante para não esquecermos o passado. Fiquei com vontade de ler, parabéns pela resenha :3

  • Leave a Reply