1. 10 Coisas que espantam qualquer leitor de um blog
  2. 10 Motivos para assistir Abnormal Summit
  3. 10 Dicas para fazer uma boa Resenha
  4. 3 Decepções Literárias
  5. 4 Clichês que nunca perdem a graça
  6. 5 Coisas que viciados em Livros já deve ter passado
  7. 5 Comédias Românticas Que Fogem aos Padrões
  8. 5 Filmes coreanos para assistir nas férias.
  9. 5 Filmes de Época para se apaixonar
  10. 5 Motivos para assistir Re: mind
  11. 52 Filmes em 52 Dias: As Sufragistas
  12. 52 Filmes em 52 Semanas: Marathon
  13. 6 Motivos para ler Extraordinário
  14. 7 Motivos para se apaixonar por I’m Not a Robot
  15. Acabe com a Neura do Layout Perfeito
  16. Resenha: Alice – Boy From Wonderland
  17. Show do Asian Kung Fu Generation em Fortaleza ( Um Sonho Realizado)
  18. Resenha: As Travessuras de uma Sereia
  19. Blogagem Coletiva: 3 Top das Galáxias
  20. Blogagem Coletiva: O que aprendi com a minha mãe
  21. Cantores que você precisa conhecer
  22. Coisas que você precisa saber antes de migrar para o WordPress
  23. Conheça a tocante historia de Com amor, Van Gogh.
  24. Conheça a Ilustradora Daieny Schuttz.
  25. Conheça nossa nova parceira a autora Nina Spim.
  26. Conheça Wanna One e o programa que o formou – Produce 101 Season 2
  27. Conta Premium – Dramafever X VIKI
  28. Dar para se amar sendo fora do Padrão, beleza?
  29. DEAN aquele cantor que todo mundo precisa escutar
  30. Death Note: Iluminando um Novo Mundo. Uma nova historia com a mesma essência.
  31. Desafio: 12 meses Literários
  32. Desafio: 52 Filmes em 52 Semanas
  33. Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada
  34. Doramas que precisam de Segunda temporada para já!
  35. 5 Doramas psicológicos que você tem que assistir
  36. Edição Econômica X Edição Normal – Qual vale a pena?
  37. Especial Dias das Mães: Indicação de Filmes
  38. Estreias de Doramas: Janeiro e Fevereiro 2017
  39. Faça edições incríveis com o Canva
  40. Filme: Judge
  41. Fragmentos do Horror – Horror em forma de arte
  42. Guia: Doramas para Iniciantes – Parte 1
  43. Para que plagiar se pode encontrar imagens de graça?
  44. Indicação: 5 Doramas que andei assistindo e recomendo.
  45. Lápis de cor Leo&Leo valem a pena?
  46. Melhores e piores adaptações de Animes/Mangás.
  47. Minhas Próximas Leituras
  48. Moana: Um Mar de Aventuras
  49. O que 2017 me deixou?
  50. O que andei assistindo…
  51. O que andou acontecendo na minha vida nesse período.
  52. Resenha: O Lar das Crianças Peculiares
  53. Onde assistir Doramas? Os Melhores Fanbub’s e App’s para te ajudar.
  54. Por que é importante não ter medo de mudar?
  55. Precisamos falar sobre a musica Instagram do DEAN
  56. Presence of the Almighty
  57. Presentes para O Dia dos Pais
  58. Querido(a) Blogueiro(a), mais respeito pelo trabalho dos colegas.
  59. Resenha: Rebel- Thief Of The People
  60. Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês
  61. Resenha: A Bela e a Fera – Livro
  62. Resenha: A Elite
  63. Resenha: A Escolha
  64. Resenha: A Seleção
  65. Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme
  66. Resenha: Atypical
  67. Resenha: Battle Royale
  68. Resenha: Caraval
  69. Resenha: Cart
  70. Resenha: A Casa Vazia
  71. Resenha: Chicago Typewriter
  72. Resenha: Circle
  73. Resenha: Corte de Espinhos e Rosas
  74. Resenha: Corte de Névoa e Fúria
  75. Resenha: Deixe-me Em Paz
  76. Resenha: El Bar
  77. Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas
  78. Resenha: Goblin – The Lonely and Great God
  79. Resenha: Good Doctor
  80. Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa
  81. Resenha: Hush – A Morte Ouve
  82. Resenha: Hwayi: A Monster Boy
  83. Resenha: Hyung
  84. Resenha: Koe no Katachi / A Silent Voice
  85. Resenha: Las Chicas del Cable
  86. Resenha: Las Chicas del Cable – 2° Temporada
  87. Resenha: Liar Game versão Coreana
  88. Resenha: Lion – Uma Jornada Para Casa
  89. Resenha: A Longa Marcha
  90. Resenha: Lookout
  91. Resenha: Moon Lovers Scarlet Heart Ryeo
  92. Resenha: My Wife’s having an affair Week
  93. Resenha: Naked Fireman
  94. Resenha: Nerve – Um Jogo Sem Regras
  95. Resenha: O Guia do Mochileiro das Galáxias
  96. Resenha: O Menino da Lista de Schindler
  97. Resenha: O Mínimo Para Viver
  98. Resenha: O Nevoeiro, mais uma decepção para lista.
  99. Resenha: O Sorriso da Hiena – Os Fins justificam os meios?
  100. Resenha: Oh My Venus
  101. Resenha: Pandora
  102. Resenha: Princess Hours Thai
  103. Resenha: Reportagem Exclusiva
  104. Resenha: Requisitos Para Ser Uma Pessoa Normal
  105. Resenha: Rotas de Fuga
  106. Resenha: Save Me
  107. Resenha: The Sound Of Your Heart
  108. Resenha: Stranger / Secret Forest
  109. Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.
  110. Resenha: Strongest Deliveryman
  111. Resenha: Sukina Hito Ga Iru Koto
  112. Resenha: Tazza – Uma Cartada Mortal
  113. Resenha: The Villainess – A Vilã
  114. Resenha: Train to Busan – Invasão Zumbi
  115. Resenha: Valerian e a Cidade dos Mil Planetas
  116. Resenha: Weightlifting Fairy Kim Bok Joo
  117. Clube do Livro: Prince Of Thorns
  118. Serie: Alias Grace
  119. Resenha: Shining Inheritance – Meu Dorama Favorito
  120. Sonata em Punk Rock. Musica clássica ou Punk Rock, eis a questão.
  121. Tá na Crise? Como ser uma Bookaholic econômica.
  122. TAG: Liebster Award
  123. TAG: Se eu fosse um Ser Imaginário
  124. Teu problema não é bloqueio criativo e sim procrastinar.
  125. The Battleship Island, uma emocionante batalha por liberdade.
  126. The lights divided
  127. Vale a pena ter um blog em 2018
  128. VIPs : A historia do vigarista que enganou Amaury Jr
  129. Wishlist Literária – Janeiro
  130. Zeide: A Travessia de um Judeu entre nações e gerações
Resenha: O Mínimo Para Viver

Olá Girafinhas

 

Tudo bem? Minha fase de vestibulanda acabou, isso mesmo, acabei de entrar em uma federal e hoje me despedi do cursinho. O curso que consegui entrar é Artes Visuais e isso significa que comecei minha jornada até a Pixar ( eba kk). Vai demorar mais ou menos 2 meses até o inicio das aulas e vou dedicar esse tempo ao Meio Assimétrica e a mim mesma. Sem fugir muito ao assunto… Quando a Netflix anunciou que iria lançar O Mínimo Para Viver fiquei bem ansiosa para assistir-lo, pois além do elenco a temática sobre Anorexia é algo pouco focado pela mídia.

 

Nome: O Mínimo Para Viver

Diretor: Marti Noxon

Roteirista:

País: EUA

Ano: 2017

Duração: 1h47min

Gênero: Drama

Sinopse: Uma jovem de 20 anos sofrendo de Anorexia embarca em uma jornada de autodescoberta em um grupo liderado por um médico pouco convencional.

 

O Mínimo Para Viver possui uma temática bem forte, além ter elementos realísticos sobre o distúrbio. Antes de assisti-lo achava que o filme iria focar mais na parte do tratamento de Ellen, porém a trama se desenvolveu na aceitação da personagem sobre o seu problema. Não achei que isso prejudicou a historia, pois deu um ar mais realista a trama. Além disso, no filme podemos acompanhar os conflitos vividos por ela e assim entendemos mais sobre Anorexia. De todas as produções sobre essa temática que já pude ver, acredito que O Mínimo Para Viver foi a que conseguiu abrir um leque maior sobre o tema. Fiquei  frustada com a produção pelo  romance meio “desnecessário” e o fato do personagem de Keanu Reeves mal aparecer na trama. Assim como, tirando o fato do distúrbio, a historia não foi bem desenvolvida.

 

Ellen tem uma personalidade forte e problemas na família, a garota acredita que seus desenhos causaram suicídio de alguém. Além disso, a jovem sofre com o distúrbio alimentar e não aceita o fato de precisar de ajuda. Sua madrasta e meia irmã vivem tentando aconselhá-la a se tratar, mas todas as tentativas terminaram em fracasso.  Até que um dia, Ellen é levada para conhecer dr. William Beckham, um médico que tem uma maneira pouco convencional para tratar seus pacientes. Será que finalmente Ellen irá melhorar?

A atuação de Lily Collins estava impecável, a atriz ficou irreconhecível no papel de Ellen. A personagem, estava desaparecendo aos poucos e não conseguia enxergar sua degradação. Coisas como contar as calorias da comida, fazer abdominal, brincar com a comida e até mastigar o alimento e cuspir, foram caracterizada na trama. Em outras passagens, vemos personagens que vomitavam, outros que tomavam laxantes e a própria Ellen subindo e descendo escadas para perder as gordurinhas invisíveis. Nessa parte o filme conseguiu se consagrar, pois trouxe um ar mais realístico a historia. Assim como, a personalidade de Ellen, um tanto rebelde e sem papa na língua, dava uma amenizada no clima.

 

Após conhecer o dr. William, Ellen vai ser internada, mas não em uma clinica comum e sim em uma casa cheia de outros jovens com o mesmo problema. Os personagens secundários não tiveram tanto destaque na trama, apenas Luke que acabou virando amigo de Ellen teve um pouco de destaque. O rapaz agia com otimismo e estava sempre confiante sobre sua recuperação, tinha um jeito excêntrico de agir e embora adore personagens excêntrico, Luke não me conquistou. Talvez por ter sido um tanto forçado, mas acredito que sua participação foi importante na recuperação de Ellen.

O Doutor William mal apareceu na trama e isso me deixou bem frustada. O personagem de Keanu Reeves dava o poder de escolha aos seus pacientes, para que entendam por eles mesmo que é preciso mudar. Agia mais como um amigo do que como um médico em si e tentava guiar seus paciente sem pressão. Além dele, conhecemos a família desunida de Ellen. Mesmo que não tenha aparecido tanto, podemos ver que o pai da garota é ausente e que os dois tem problemas para se relacionar. Assim como, sua madrasta pode parecer sufocante mais que procura o melhor para ela. Como também, sua meia- irmã é a que mais lhe entende. Sua mãe também se mostrou afetada pelo distúrbio da filha e quer ajuda-la.

 

Uma coisa que ache desnecessária na historia, pode até parecer pirraça minha, foi o romance. Sinceramente, não consigo entender a necessidade de colocar romance em tudo e nessa historia não me caiu bem. Achei um tanto forçado e preferiria que Ellen e Luke continuassem como apenas amigos que tentam se ajudar.

 

Conclusão

 

Se você tem curiosidade sobre a temática recomendo que assista o filme. Logo que em relação anorexia a historia teve muitos detalhes e foi abordada de forma realista. A atuação de Lily Collins estava impecável e essa atriz tem futuro, viu? O filme não foca no tratamento em si, mas no auto conhecimento da personagem e na aceitação sobre o problema.

 

 

Comentários
Tags:
18 anos com carinha de 15 e ossos de 80. Vivo me aventurando em historias fantasísticas, na qual uma hora sou uma tributo na outra sou uma mochileira das galaxias. Estudante de Artes Visuais, amo desenhar e escrever, meu sonho de princesa é ser quadrinista ou trabalhar na Pixar. No blog, compartilho minhas paixões por livros, filmes e doramas. O Meio Assimétrica, está repleto de surtos e desabafos sobre meu cotidiano... Convido você a conhecer mais sobre esse cantinho, então se aconchegue ai.

Related Article

37 Comments

Ana Trindade agosto 23, 2017 at 7:37 pm

Passei por esse filme esses dias na Netflix. Não sabia que o assunto era anorexia, mas curti a resenha e vou assitir.

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:38 pm

    Olá Ana, espero que goste do filme.

Heli Lobo agosto 23, 2017 at 3:20 pm

AAAI, assisti e chorei muuuuito! haha
eu amei o filme! ♥

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:39 pm

    Olá Heli, o filme é bem tocante, não cheguei a amar, mas gostei muito da historia

Luma agosto 22, 2017 at 8:15 pm

Eu estou LOUCA par assistir esse filme. Vi alguns trailer e li algumas resenhas, mas ainda não tive tempo livre para assistir. Acho que vou gostar bastante, por ser um tema “diferente”

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:41 pm

    Olá Luma, também adoro temas diferentes e nesse filme foi bem abordado a temática da anorexia.

Marcia agosto 21, 2017 at 2:59 pm

ola tudo bem ? não vou conseguir assistir , mais gostaria muito por ser uma historia realistica com uma tematica muito forte , realidade que poucos enchergam .Bjssss

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:42 pm

    Oi Marcia, tudo e você? O filme tem um clima tenso mesmo, mas é uma pena você não poder conferi

Ana agosto 21, 2017 at 10:17 am

Estou ansiosa para ver o filme, a publicação ficou maravilhosa! Xoxo

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:44 pm

    Oi Ana, tudo bem? Obrigada fico feliz que tenha gostado

Daiana Fant agosto 21, 2017 at 3:29 am

Acho muito legal que a Netflix esteja tocando em assuntos pouco comentados na nossa sociedade como suicídio e também agora anorexia. Eu estou super curiosa em como isso foi retratado, mas ainda não tive tempo de ver. Adorei a sua resenha, me motivou bastante a assistir logo!

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:46 pm

    Olá Daiana, tudo bem? Fico bem feliz quando vejo que estão explorando temas novos e espero que goste do filme

Alécia Magalhães agosto 21, 2017 at 1:49 am

Gosto de filmes realista…essa temática é bem atual
Gostei, muito legal.
Blog ArroJada Mix

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:47 pm

    Olá Alecia, espero que goste

Edmille agosto 21, 2017 at 1:09 am

Oi, tudo bem? Queria dizer que achei a temática do filme bem forte, apesar do seu tema ser muito bom pra assistir como filme. Bom, espero ansiosamente poder assistir e acredito que ele traz uma mensagem impactante.

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:50 pm

    Olá Edmille, a historia tem uma mensagem bonita de auto-descobrimento, espero que você goste do filme.

garota delicada agosto 20, 2017 at 11:27 pm

Boa noite, como vai? Que resenha maravilhosa, achei super interessante quando você começou a falar eu ate pensei que era um texto, e depois quando vi que era a resenha de um livro fiquei super encantada, pois eu achei uma história super interessante. beijos

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:54 pm

    Olá, tudo bem? Muito obrigada pela comentário, enfim espero q goste

Danielle Novaes agosto 20, 2017 at 6:43 pm

Acabei de passar pra Artes Visuais também! Uhulll parabéns pra nós! No me casa é Universidade Estadual aqui do Rio, então to esperando a greva acabar pra começar a estudar. Nesse tempo também vou me dedicar ao blog. Nossa proposta é diferente mas podemos trocar umas idéias.
Fiquei com vontade de assistir o filme.
Sucesso pra vc! bjo

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:56 pm

    Parabéns Danielle, também fui afetada pela greve, minhas aulas são vão começar em outubro. Ah claro que podemos trocar ideias (rsrs) E obrigada sucesso que seu blog tbm

Luisa Martins agosto 19, 2017 at 9:58 pm

Vou dar uma olhada. Eu sempre fico receosa com livros/séries/filmes que tratam de temas tão sérios como esse por conta da caracterização, tenho medo de acabar tendo uma ideia errada da situação por ter assistido o filme ou série ou lido o livro, mas pelo que li na sua resenha e acompanho de pessoas que estão se livrando desse problema, parece bem verossímil. Obrigada pela dica!

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:58 pm

    Olá Luisa, as vezes tenho receio também, mas acabo dando uma chance e assim encontro filmes como esse que retratam bem a temática. Espero que goste da historia quando for assistir

Daniela agosto 19, 2017 at 7:42 pm

Parabéns pela vaga na federal!!! Adorei a dica de filme, já anotei aqui. Não conhecia e me parece muito bom.

bj

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 3:59 pm

    Obrigada Daniele, espero que goste do filme

Tais Burigo agosto 19, 2017 at 7:06 pm

Oi tudo bem?
Já vi esse filme e tive a mesma impressão que você que eles não precisavam romantizar achei bem desnecessário também. Mas tirando isso o filme é bem bom e emocionante.

Beijos

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:01 pm

    Olá Tais, tudo bem? Pois é, na historia não cabia um romance e isso me incomodou um tantinho, mas a historia é emocionante.

Bruna Bueno agosto 19, 2017 at 6:51 pm

eu assisti e nao faz muito tempo confesso que no começo eu nao dava muito mais o tema que retrata historia me prendeu
gostei da sua opinião bem sincera
Blog ♥ Coisas da Vida

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:03 pm

    Olá Bruna, tudo bem? Obrigada pelo comentário, a historia passa a nos prender com o tempo, né? ^-^

Beatriz Prado agosto 19, 2017 at 1:10 pm

Salvei a dica porque sou apaixonada por histórias assim e o seu post só me fez querer assistir ainda mais.
Obrigada.
Beijos

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:05 pm

    Olá Beatriz, tudo bem? Fico feliz que minha resenha tenha lhe convencido a assistir.

Amilton Júnior agosto 19, 2017 at 2:17 am

Esse tema – anorexia – é cercado por questões erradas, como por exemplo, de forma alguma é um modo de chamar a atenção, na verdade é a consequência de uma cadeia de ações que vão afetando a autoestima, dentre outras coisas, da pessoa e a faz se enxergar ‘inaceitável’ aos próprios olhos. Fico feliz por encontrar uma empresa do porte da Netflix usando seu alcance para abordar um assunto delicado.
Também acredito que não fosse necessário romantizar algo que teria como função informar, mas nada são só flores né kkk
Abraços

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:07 pm

    Olá Amilton, tudo bem? Concordo com você, as pessoas tem uma visão errada sobre o tema e é muito bom que Netflix tenha aberto espaço para falar sobre essa temática. Espero que mais pessoas tomem consciência sobre o tema.

Lucimar da Silva Moreira agosto 19, 2017 at 12:36 am

É um filme que aborda um tema que mexe muito com a sociedade que é a anorexia, é um fato que acontece muito com adolescentes. Muitos sofrem e não querem ser ajudados, o filme mostra tudo, realmente a atriz Lily Collins ela tem um futuro muito bom pela frente, ainda não assisti o filme mas fiquei super curiosa pois gosto muito do autor Keanu Reeves, pena que ele não apareceu muito na trama como você disse. Bjs.

Blog Poliana Ribeiro agosto 19, 2017 at 12:35 am

Gente ela ficou mto diferente cara arrasou na dica e parabéns pelo curso!!

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:09 pm

    Olá Poliana, obrigada

bruna melo agosto 18, 2017 at 11:16 pm

nossa que sorte, é parabens vc se dedicou pra passar gostei, muito da sua resenha, sem fala que essa atriz eu amo <3 todos os filmes que ela faz maravilhoso !

    Ana Letícia agosto 25, 2017 at 4:10 pm

    Olá Bruna, tudo bem? Obrigada, também gosto da atriz e ela evoluiu muito nesse filme, espero que você curta a historia como nos outros filmes

Leave a Comment