Resenha: Corte de Espinhos e Rosas

. 1 Comentários .
In Livro

Olá Girafinhas

Sabe aquele livro que você enrola para terminar, pois não quer dar tchau? Enfim, fiz o que pude para que a história durasse o máximo possível. Infelizmente, chegou um momento que não consegui largar o livro e acabei tendo de dar adeus. ( Por enquanto, já comprei o 2° livro ~ebaaa). A Corte de Espinhos e Rosas foi um dos poucos do gênero, romance e fantasia, que conseguiu me conquistar.  Não conhecia a escrita de Sarah J.Maas e digo que a maneira dela descrever os acontecimentos foi de uma forma tão detalhada que me senti dentro da trama.

Nome: Corte de Espinhos e Rosas

Autora: Sarah J. Maas

Editora: Galera Record

Ano: 2015

Paginas: 434

País: EUA

Gênero: Romance, Fantasia e Ação

Sinopse: Em Corte de Espinhos e Rosas, um misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar um féerico transformado em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira que ela só conhecia através de lendas , a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera.

À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… Ou Tamlin e seu povo estarão condenados

Corte de Espinhos e Rosas foi um livro que me conquistou aos poucos, vou ser sincera, demorei um pouco para cair nos encantos dessa historia. O preconceito contra o gênero ajudou um pouco e confesso que me senti uma idiota quando percebi o quanto o livro é BOM. Uma coisa que tinha me deixado curiosa, era a premissa de ser uma mistura de A Bela e A Fera e Game of Thrones, até porque dessa mistura só podia sair uma coisa no minimo interessante.

Em Corte de Espinhos e Rosas temos uma narrativa rica em detalhes e sentimentos, foi a primeira vez que vi uma personagem tão apaixonada ao descrever um novo mundo. Como também, a trama não se prende ao romance, pois vai bem além disso, consegue trazer cenas de ação bem elaboradas e um ar mais obscuro e perigoso.

O céu era um turbilhão de ametista, safira e rubi derretidos, todos escoando para uma poça final de ônix. Eu queria nadar nele, queria me banhar nas cores e sentir as estrelas brilhando entre meus dedos.

Feyre é a filha mais nova de uma família falida. Antes de sua mãe morrer, a garota prometeu que cuidaria de seus familiares, porém a situação não é nada favorável. Seu pai está machucado e sem coragem de trabalhar, suas irmãs não são de grande ajuda. Restando assim, apena Feyre para sustentar a família. Para isso, aprendeu desde muito sendo a caçar e sair nas florestas perigosas em busca de alimento. No começo da historia, acompanhamos Feyre em meio ao inverno atrás de algum alimento para sobreviver ao tempo. Porém, o que a garota encontra, é um gigante Lobo e temendo ser um Féerico,  o mata com suas flechas.

Para seu azar ou sorte, o Féerico em questão era da Corte Primaveril e o Grã Féerico, Tamlin, está em sua busca. Segundo o tratado Féerico, uma vida pela outra, como Feyre matou seu amigo a sangue frio, teria que escolher entre passar a eternidade nas terras Féericas ou ter uma morte cruel. Claro que nossa mocinha escolheu ir morar na Corte Primaveril, no entanto, mantinha os pensamentos de fuga. Feyre agora vai conhecer um mundo completamente novo, um lugar incrível, onde a magia é real. Entretanto, não por muito tempo, haja visto que um doença está se espalhando e sua chegada pode ocasionar consequências horríveis.

A besta afundou na cadeira, a madeira rangeu , e , com um clarão de luz branca, a criatura se transformou em um homem de cabelos dourados… Aquela besta não era um homem, não era um féerico inferior. Ele era um dos Grão-Féericos, um dos nobres governantes: lindo, letal e impiedoso.

O enredo tem um bom desenvolvimento, não é rápido e nem lento demais, feita na medida para podemos conhecer melhor o reino e os personagens. Sabe aquele livro que você ler e pensa, “Poxa, isso dava um baita filme?”. O mundo de Sarah J.Maas é original, criativo e a cada descoberta nova, queremos conhecer mais daquele lugar. Os personagens também foram bem construído, a principio pensei que seria do tipo clichê, porém a maneira como eles foram desenvolvidos se diferencia dos demais.

Não pense que o romance será daqueles onde a mocinha é submissa, Feyre é um tanto teimosa e indomável, já Tamlin é um cara legal e faz de tudo para que ela se sinta em casa. A narrativa também deu um ar animalesco aos féericos, isso foi bem interessante de se ler, pois dessa forma diferenciava-os da gente. Os secundários também tiveram um bom destaque, Lucien, braço direito de Tamlin, foi um personagem bem aproveitado, assim como esbanjava carisma. Os demais, levaram mais tempo para surgir e acredito que serão muito mais aprofundados no próximo livro.

Humana tola- sibilou ele. Agora, o encantamento de Lucien tinha cessado. Os cabelos ruivos queimavam como mental quente, e o olho vermelho estava incandescente como uma forja infinita. Aquilo era o que eu retrataria a seguir.

Romance + Ação

Prometo que esse é o ultimo tópico e juro que sinto muito por ter feito uma resenha tão grande. Em a  Corte de Espinhos e Rosas temos boas cenas de ação e adrenalina. Esqueça aquele feijão com arroz, no qual a mocinha é salva pelo seu herói, dessa vez é bem diferente. Feyre é corajosa e sabe lutar pelo que quer. Sua vinda para a Corte Primaveril foi de extrema importância, saber como a encaixava naquilo tudo, foi um mistério. Não espere um romance fofinho, pois a história vai muito além disso.

Conclusão

Acredito que tudo que era para ter sido falado já foi dito, mas por segurança vou repeti algumas coisinhas. O livro Corte de Espinhos e Rosas tem um bom enredo. No começo senti dificuldade para me adaptar a escrita na autora, coisa que não levou muito tempo. A trama é bem detalhada e os personagens são bem aprofundados na historia. A narrativa foi elaborada de uma forma que vai agradar tanto aqueles que gostam de um bom romance quanto aos que como eu, gostam de uma boa ação e aventura.

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Resenha: Corte de Névoa e Fúria - Meio Assimétrica
    outubro 20, 2017 at 12:11 am

    […] vida agora, depois compartilho com vocês, ok? Vim trazer a resenha do segundo livro da trilogia Corte de Espinhos e Rosas. Gente o que a Sarah J.Maas fez comigo? Esse livro superou qualquer expectativa e simplesmente me […]

  • Leave a Reply