in Livro

Resenha: Corte de Névoa e Fúria

at
resenha-corte-de-nevoa-e-furia

Olá Girafinhas

Estou um tempo longe de vocês, peço desculpas, mas muita coisa tem acontecido na minha vida agora, depois compartilho com vocês, ok? Vim trazer a resenha do segundo livro da trilogia Corte de Espinhos e Rosas. Gente o que a Sarah J.Maas fez comigo? Esse livro superou qualquer expectativa e simplesmente me resta a admitir que essa é minha trilogia favorita ~ sorry Jogos Vorazes, sorry A Seleção.

Nome: Corte de Névoa e Fúria

Autora: Sarah J.Maas

Editora: Galera Record

Ano: 2016

Paginas: 658

País: EUA

Gênero: Fantasia, Romance, Ação

Sinopse: O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da série Trono de vidro Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.

 

Essa resenha possui spoilers pesadão sobre o primeiro livro, por isso leia essa resenha primeiro -> Corte de Espinhos e Rosas 

Corte de Névoa e Fúria superou o primeiro livro em vários aspectos. A história foi melhor explorada e trouxe mais lugares fantásticos, a Corte Primaveril era só a pontinha do iceberg. A autora, Sarah J.Maas, descreve os lugares e os acontecimentos com maestria ao ponto de nos sentimos ali dentro. A historia teve uma reviravolta em tanto e personagens que eram bonzinhos não eram tão santos e os personagens tidos como vilões não eram tão malvados. O enredo ganhou um tom mais maduro e a personagem Feyre está passando por um momento complicado e de auto-conhecimento.

Em a Corte de Névoa e Fúria, esqueça o romance entre Tamlin e Feyre, o Grã Senhor não é aquele cara compreensivo e gentil do primeiro livro. Pensei que era impressão minha quando fiquei incomodada  pelo fato de Tamlin não fazer nada para ajudar Feyre contra Amarantha. Assim como, não quis admitir que gostava mais de Rhys do que dele, já estava conformado com o “shippe errado”, mas a autora resolvera mudar as coisas.

Estava prestes a me desfazer, bem ali, naquele momento…e eles veriam exatamente como eu estava destruída. …. Ajude-me, ajude-me, ajude-me, implorei a alguém, qualquer um.

O Conto de fadas de Feyre acabou, Tamlin não é mais aquele que era, parecia não ver que a garota precisava de ajuda. Estava cada vez mais protetor e para “proteger-la” a mantinha presa sobre vigilância. A vida na Corte Primaveril estava cada vez mais sufocante, precisava manter uma boa imagem e esconder o que sentia nos eventos frequentes. Assim como, tinha que se preparar para o seu casamento e uma vida ao lado de Tamlin aquele que acreditara amar. Aquele amor tão certo que Feyre possuía estava lhe cegando e a nossa mocinha tão forte estava definhando.

Eis que surgi Rhys cobrando seu trato feito na Montanha. Não vou menti gostei de ver que Sarah J Maas desenvolveu mais o personagem e por meio disso podemos ver a complexividade dele. Rhys que era servo de Amarantha e temido pelo seu poder, carregava uma mascara de arrogância e maldade, quando na verdadeira era só fachada para proteger o que mais amava. O personagem tinha uma forte química com Feyre, isso devido a ligação dos dois. O desenvolvimento do romance foi diferente, começou de uma forma mais “divertida” já que os dois não se entendiam bem. Como também foi algo mais profundo, ao contrário do Tamlin que era algo mais carnal.

Peguei a carta e rabisquei minha resposta no topo da lata antes de observar a carta sumir de minha mão: Não enxerido. Não tem coisa importante a fazer?

A carta voltou um momento depois.
Estou vendo Cassian e Nestha se atracarem de novo por causa do chá. Você me submeteu quando me expulsou do treinamento. Achei que fosse nosso dia de folga.

Ri com deboche e escrevi em resposta: Tadinho do Grão Senhor. A vida é tão difícil.
O papel sumiu e, então, reapareceu; a letra dele agora estava perto do alto do papel, a única parte de espaço vazio que restara. A vida é melhor quando você está por perto. E olhe como sua letra é linda.

Na Corte Noturna Feyre pode se libertar e se sentir útil de novo. Naquele novo lugar não era mais a Quebradora de Maldição e sim uma Feérica como qualquer outro. Amarantha também havia deixado marcas em Rhys e a aproximação do dois foi como um remédio um para o outro.  Com a mudança de ambiente, podemos conhecer mais personagens, os amigos ou melhor dizendo a família de Rhys. Os personagens eram tão cativantes quanto os da Corte Primaveril. E confesso que senti falta de Lucien, mas os demais conseguiram fechar essa lacuna que ele havia deixado.

Rhys estava se preparando para a possível guerra e precisava da ajuda de Feyre que agora se tornara a peça principal do tabuleiro. Devido sua transformação adquiriu os poderes dos Grã Senhores. Porém, por causa da proteção de Tamlin não conseguiu desenvolve-lo, somente quando entrou na Corte Noturna e começou a treinar conseguiu encontrar seu verdadeiro poder. A personagem voltou mais poderosa do que era e aos poucos recuperou sua coragem e audácia.

Conclusão

Tive que me conter para não escrever mais nada, pois não quero fazer resenhas enormes e cansativas, mas… Corte de Névoa e Fúria trás uma nova perspectiva para a trama. A narrativa continua envolvente e bem escrita como a anterior, devorei as paginas como se não houvesse um amanhã. Os personagens tiveram maior desenvolvimento e o enredo ganhou um ar mais aventureiro e maduro. O romance virou meu xodózinho e o casal tinha uma química em tanto, fora que esbanjavam cumplicidade e lealdade. Se tem uma coisa que não gostei tanto – mas é um detalhe pessoal – foi lá perto do final a trama fica meio melosa…  Tenho grandes expectativas para o próximo livro (só falta o dinheiro ou a promoção na Amazon).

Ana Letícia

18 anos de pura confusão e sedentarismo. Amo assistir filmes e sofrer por Doramas. Nas horas vagas adora ler e conferir uma serie nova na Netflix.

Comente

Your email address will not be published. Required fields are marked *

%d blogueiros gostam disto: