Olá Girafinhas. Venho trazer o segundo filme do desafio, 52 Filmes em 52 Semanas. O tema dessa semana era Inspirador, como sempre termino inspirada vendo filmes sul coreanos, acabei escolhendo Marathon. O filme não podia ter sido mais perfeito para o tema dessa semana. Já é a milésima vez que comento no blog o quanto sou interessada em historias sobre autismo, por isso não tive duvidas que esse filme seria uma boa opção. A trama conseguiu me pegar de jeito, ainda mais depois de saber que é baseada em uma historia real.

Nome: Marathon

Diretor: Yoon-Chul Jeong

País: Coreia do Sul

Ano: 2005

Duração: 117 min

Gênero: Biográfico, Esporte e Drama

Sinopse: O filme conta a história de um jovem com autismo, chamado Cho-won, que se encontra apenas na corrida. Quando criança, Cho Won regularmente tinha birras, e recusava-se a comunicar com os outros – encontrando consolo em zebras e no lanche coreano Chocopie. Sua mãe nunca desistiu dele e estava determinada a provar ao mundo que seu filho pode ser normal. Ao envelhecer, ele começa a descobrir a paixão pela corrida e sua mãe está lá para encorajar e apoiar ele. Apesar de ambos sofrer com a família e de problemas financeiros, eles encontram um antigo campeão de maratona – agora um homem velho letárgico com problemas de alcoolismo, que ajuda Cho-won a se superar.

Marathon nos encanta pela simplicidade e pela delicadeza ao contar a historia de um jovem autista e de sua mãe. Gostei da maneira que filme quis mostrar primeiro a aceitação da mãe sobre o transtorno do filho. Convenhamos, não é fácil aceitar que seu filho é “diferente” e a mãe de Cho Won conseguiu representar esse processo. O filme tem um bom desenvolvimento e mal pude ver as horas passar. Assim como, a história não se prendia ao drama, tinha momentos descontraídos que explorava a amizade de Cho Won e seu treinador.

Cho Won é um jovem autista que encontra motivação nas corridas. Sua mãe é sua maior apoiadora e faz das tripas coração para realizar os sonhos de seu filho. Ela até mesmo consegue convencer, Jung Wook, um antigo campeão a treina-lo. Uma coisa bem interessante na trama é por também mostrar o quanto a super proteção dificulta na independência do filho. Durante a trama, a mãe de Cho Won vai percebendo que deixava seu filho sem a menor autonomia.

Passei o filme todo com uma sensação de ter visto o Cho Won em algum lugar, eis que dando uma pesquisada, adivinha o que descobri? Ele é interpretado por Jo Seung Woo, o mesmo ator de Stranger. Cho Won é um personagem cativante, principalmente pelo seu jeitinho único e inocente de ver o mundo. Embora fiquemos em dúvida se Cho Won realmente ama correr ou faz isso por causa mãe, aos pouco fica evidente que essa é a paixão do rapaz.

Gosto muito da temática sobre o autismo, principalmente quando expõem a maneira com ele é visto pelos outros. Durante a trama, vemos situações nas quais o personagem sofreu discriminação. Isso tudo porque o autismo ainda não é tão abordado como deveria. Agora as coisas estão mudando, mas imagine na época de Cho Won o quanto foi difícil para ele se “encaixar” em meio a tanta ignorância.

Outra parte que adorei na historia foi o desenvolvimento da amizade entre Cho Won e seu treinador Jung Wook. Devido a dirigir alcoolizado, Jung Wook, teve que prestar serviço comunitário em uma intuição de autismo. A mãe de Cho Won vendo ali uma oportunidade de encontrar um treinador para seu filho, faz de tudo para convence-lo. Depois de muita birra, o ex campeão decide ajuda-los. Porém, no inicio Jung Wook mal mostrava iniciativa, as vezes mandava o rapaz correr várias vezes. Com o tempo de convivência, ele acaba criando simpatia pelo rapaz. Sendo assim, começa não apenas o treinando, mas fazendo outras atividades, como ver corrida de cavalo ou ir a sauna.

Dar para subtender que os passeios entre os dois acabou colidindo com as ideias da mãe de Cho Won. Ao mesmo tempo que o treinador acreditava que Cho Won podia ter sua autonomia, a mãe dele tinha problemas em aceitar que o filho podia tomar as próprias decisões. Ao contrário que você pensa, não senti raiva da mãe dele ou achei que ela foi exigente demais. Ela era uma mãezona que cuidou dos filhos praticamente sozinha. Único problema dela, foi não saber medir os cuidados em Cho Won, além de acabar esquecendo seu filho mais novo nesse processo.

Conclusão

Marathon é de fato um filme inspirador, faz pensar que nossas limitações não são nada quando realmente queremos algo. A historia tem um bom desenvolvimento. Assim como, o principal é um personagem cativante que nos conquista pela sua inocência  e maneira unica de ver o mundo.

 

Tags: , ,
18 anos de pura confusão e sedentarismo. Amo assistir filmes e sofrer por Doramas. Nas horas vagas adora ler e conferir uma serie nova na Netflix.

Related Article

0 Comments

Leave a Comment

%d blogueiros gostam disto: