Browsing Category

Livro

Resenha: A Bela e a Fera – Livro

- Livro

Olá Girafinhas

Tudo bem? Comigo sim, obrigado por perguntar (kkk). Enfim, como deu para perceber pelas minhas ultimas resenhas, andei lendo alguns livros com um toque pesado. Como já estava ficando “paranoica” resolvi suavizar e para minha sorte, A Bela e a Fera, tinha acabado de chegar. Logo, resolvi passar na frente na minha lista de leituras e acabei caindo em plena nostalgia.

Read More

Clube do Livro: Prince Of Thorns

- Livro

Olá Girafinhas

Tudo bem? Entrei em um Clube de Livros e o gênero escolhido desse mês é Fantasia, foi uma experiencia nova, já que não sou acostumada com esse estilo. Confesso que fiquei um pouco perdida, então andei pesquisando no Google, até que encontrei a Trilogia Espinho e achei a premissa interessante. Adorei ter participado do projeto, pois pude ler algo um tanto diferente do que gosto. Porém, tenho que admitir que embora queira continuar a trilogia, não consegui me apegar aos personagens e nem a própria historia.

Read More

Resenha: A Longa Marcha

- Livro

Olá Girafinhas

 

Nunca tinha lido nada de Stephen King e sempre tive curiosidade para conhecer a obra desse autor tão famoso. Mesmo que não transpareça, essa blogueira aqui, é uma medrosa de carteirinha e por conta disso procurei o livro mais “leve”. E é com tamanha rapidez, que trago a Resenha de Longa Marcha, um livro que foi uma tremenda surpresa para mim. E agora Stephen King ganhou mais uma fã.

Read More

Resenha: Assassin’s Creed – Livro Oficial do Filme

- Livro

Olá Girafinhas

Como vocês estão? Espero que estejam bem e se não estiverem, tentarei animar-los com mais uma Resenha. Já faz um certo tempo que tenho esse livro na minha estante, comprei para não ficar boiando quando fosse ver o filme, mas acabou que nem a leitura e nem o cinema deram certo. Recentemente, resolvi dar uma chance para o livro e acabei ficando surpreendida com o enredo, embora tenha achado o final decepcionante.

Read More

Resenha: A História do Brasil Para Quem Tem Pressa

- Livro

Olá Girafinhas

Tudo bem com vocês? Diz ai que e falhei no planejamento essa semana. Peço desculpas, mas Quinta-feira não deu para postar como queria. A verdade, é que fazia tempo que queria terminar A História do Brasil Para Quem tem Pressa. Por isso quando cheguei no Período Republicano, só larguei com o livro quando terminei (rsrs). 

Nome: A História do Brasil para quem tem pressa
Editora: Valentina
Autor: Marcos Costa
Ano: 2016
Gênero: Histórico
Paginas: 200
Sinopse: Com fontes e referências bibliográficas para se compreender o Brasil, utilizando uma linguagem moderna, ágil e precisa, este livro único explica nosso país de uma forma que você nunca viu. Desde a expansão comercial e marítima na Europa (1453 – 1534), entrando no período colonial (1534-1822), passando pelo período monárquico (1822 – 1889) e terminando no período no período republicano (1889 – 2015). Ilustrado e didático, um livro essencial para todos que procuram um ponto de partida para se aprofundar na história do Brasil.

Você já se perguntou, o porquê do país estar nessa situação? Essa pergunta deve ter habitado a mente de muitos brasileiros.  O fato é, que essa realidade não foi gerado do nada e sim por causa de vários acontecimentos que acabaram se tornando uma bola de neve gigantesca. A História do Brasil Para Quem tem Pressa, tem a premissa de por meio de 200 paginas apresentar os momentos fundamentais para o nosso país. O livro cumpri com sua proposta de trazer uma leitura rápida e objetiva, de forma imparcial. 

Como ainda sou uma vestibulanda, essa leitura uniu o útil ao agradável. Porém, não espere nada muito detalho, haja visto que é impossível resumiu toda a historia do Brasil em apenas 200 paginas. No entanto, o resumo se mostrou bem esclarecedor e de forma imparcial nos deixou livre para absorver os fatos e tiramos nossas próprias conclusões. A escrita moderna, facilitou a compreensão dos fatos. Se fosse questionar qualquer coisa, seria que alguns momentos, senti uma falta de coerência, nada que tornasse a leitura ruim, mas que incomodou um tantinho assim.

Somos, enquanto nação, uma espécie de ornitorrinco social cujo habitat se localiza em algum lugar entre o Principado de Mônaco e o Haiti

Depois que terminei o Livro, me perguntei como iria fazer a resenha dele. Primeiro, por se tratar de uma historia que escutamos desde do nosso fundamental e até mesmo vimos acontecer. Segundo, por ser uma leitura bem rápida. Por conta disso, a resenha será curta, mas tentarei fazer de uma forma completa. 

A História do Brasil Para Quem Tem Pressa, trás desde dos acontecimentos posteriores a colonização do Brasil até 2015, com a crise do país. Por meio dessa Leitura, pude ver o quanto nosso país foi feito de Gato e Sapato. Isso trouxe um sentimento de indignação contra Portugal e até mesmo Inglaterra. Agora sei como as Coreias se sentem em relação ao Japão. Quando pensamos, “Nossa o país estar se afundando em corrupção”, nem imagina que esse mau estar presente desde da sua Colonização.

Da mesma forma que senti raiva e até mesmo nojo dos “Manda-Chuva”, que se aproveitaram do povão. Senti orgulho do povo brasileiro que lutou por uma ideologia e infelizmente não tiveram um fim justo. É lamentável, saber que nada é fictício e isso realmente aconteceu. Entretanto, é justamente por isso, que não podemos continuar dessa forma, principalmente num momento como esse. 

Vivendo à beira desse abismo, até quando ignoraremos que ele não é, no entanto, obra da natureza?

 Conclusão

A História do Brasil Para Quem tem Pressa, é uma leitura rápida e de fácil compreensão. Trás um resumo de acontecimentos fundamentais para nossa historia. De maneira objetiva e imparcial, apresenta fatos que contribuíram para a presente realidade do povo brasileiro. Além disso, por ser uma leitura imparcial, nos deixa livres para tiramos nossas próprias conclusões. 

Nota

Resenha: Em Algum Lugar nas Estrelas

- Livro

Olá Girafinhas. 

Sabe aquele momento que você acumula Doramas para assistir, livros para ler, matérias para estudar e posts para fazer? Enfim, embora tente fazer um planejamento, ta difícil de me organizar. Porém, com o tempo as coisas vão se acertando ou pelo menos era para ser. Hoje quero falar de um Livro que foi amor a primeira vista, gente do céu, sem mentira tenho vontade de pendura-lo no meu pescoço de tão lindo que ele é. Além disso, não posso negar que tem uma narrativa maravilhoso que me levou para uma aventura.

Nome: Em Algum Lugar nas Estrelas
Editora: Darkshide
Autora: Clare Vanderpool
Ano: 2016
Gênero: Aventura e Fantasia
Paginas: 288
Sinopse: Em Algum Lugar nas Estrelas é um romance intenso sobre a difícil arte de crescer em um mundo que nem sempre parece satisfeito com a nossa presença. Pelo menos é desse jeito que as coisas têm acontecido para Jack Baker. A Segunda Guerra Mundial estava no fim, mas ele não tinha motivos para comemorar. Sua mãe morreu e seu pai… bem, seu pai nunca demonstrou se preocupar muito com o filho. Jack é então levado para um internato no Maine (o mesmo estado onde vivem Stephen King e boa parte de seus personagens). O colégio militar, o oceano que ele nunca tinha visto, a indiferença dos outros alunos: tudo aquilo faz Jack se sentir pequeno. Até ele conhecer o enigmático Early Auden.

Early, um nome que poderia ser traduzido como precoce, é uma descrição muito adequada para um prodígio como ele, que decifra casas decimais do número Pi como se lesse uma odisseia. Mas, por trás de sua genialidade, há uma enorme dificuldade de se relacionar com o mundo e de lidar com seus sentimentos e com as pessoas ao seu redor.

Obsessivo, Early Auden tem regras específicas sobre que músicas deve ouvir em cada dia da semana: Louis Armstrong às segundas; Sinatra às quartas; Glenn Miller às sextas; Mozart aos domingos e Billie Holiday sempre que estiver chovendo. Seu comportamento é um dos muitos indícios da síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo que só seria descoberta muito tempo depois da Segunda Guerra, e que inspirou personagens já clássicos como o Sr. Spock (Star Trek), o Dr. House e Sheldon Cooper (The Big Bang Theory).

Quando chegam as festas de fim de ano, a escola fica vazia. Todos os alunos voltam par acasa, para celebrar com suas famílias. Todos, menos Jack e Early. Os dois aproveitam a solidão involuntária e partem em uma jornada ao encontro do lendário Urso Apalache. Nessa grande aventura, vão encontrar piratas, seres fantásticos e até, quem sabe, uma maneira de trazer os mortos de volta ainda que talvez do que Jack mais precise seja aprender a deixá-los em paz.

EM ALGUM LUGAR NAS ESTRELAS é uma daquelas grandes histórias que permanecem com você por muito tempo, perfeita para ler entre amigos ou passar de pai para filho. Tudo que é real pode ser uma grande fantasia ou uma coincidência inevitável. Somos muito mais que um simples desejo do acaso. Nossos caminhos vão se cruzar no primeiro semestre de 2016 nesta obra premiada com o Printz Honow Award em 2016, indicada a outra dezena de prêmios e eleita o livro do ano em dezenas de listas preparadas pelos leitores.

Em Algum Lugar nas Estrelas é um livro para se orgulhar de ter na estante. Principalmente, se você comprou na promoção como essa blogueira aqui ( 30 R$). Enfim, não vamos fugir ao tema. Embora tenha tido um começo um tanto lento, o decorrer faz com que embarcamos em uma aventura inimaginável.  Quando coloquei esse livro na minha Whishlist Literária, havia dito que uma das minhas motivações, era por ter um personagem Autista, uma temática que me fascina. Embora, na história não tenha o foco principal nela, pois na Segunda Guerra Mundial as pessoas não tinha ciência sobre esse Transtorno, a autora conseguiu tratar de forma sutil. Além de ter apresentado um personagem tão cativante como foi o Early Auden. 

O livro tem uma desenvolvimento gostoso de se acompanhar. Os principais, embora tenham personalidade diferentes, eram uma boa dupla. A amizade do dois foi bem explorada na trama e a narrativa era de uma leveza. Além disso, Em Algum Lugar nas Estrelas, intercalava entre a aventura de Early Auden e Jack Baker e a viagem de Pi. Não precisa nem dizer que adorei as duas. Quantas vezes me peguei imaginando as cenas dos livros..

Jack Baker após perder a mãe, é matriculado em um internato pelo seu pai. No Colégio Militar, o garoto conhece um excêntrico colega chamado Early Auden, no qual começa uma amizade por acaso. Early é tido como o garoto esquisitão da sala, por conta disse não possui muitos amigos. Quando chega as festas de fim de ano a escola fica vazia, exceto por Early e Jack. Os dois então embarcam em uma aventura a procura de Urso Apalache.

Uma boa amizade faz jus à uma grande aventura

Jack era muito apegado a sua mãe, logo quando ela morre, ele perde o chão. Pedido em suas próprias incertezas, o garoto precisava encontrar o seu caminho. Jack é um personagem um tanto pé no chão e tentava ver as coisas com a lógica. Logo, sua personalidade não convergia com a de Early Auden. Um garoto especial que tinha o dom de ver as coisas por um angulo diferente, inclusive, números. Perdeu seu pai e irmão, estando sozinho, “mora” no colégio. Além disso, possui manias peculiares, como escultar um tipo de musica em cada dia da semana.

Jack precisava da amizade de Early para conseguir encontrar uma direção em que seguir. Assim como, Early conseguira encontrar alguém que ao menos tentava entende-lo. No meio de sua jornada, cresce uma cumplicidade entre os dois. E foi divertido, acompanhar maneiras tão diferentes de verem o mundo juntas. Também não posso esquecer da aventura vivida pelos dois. Amei a forma como a autora conseguiu mesclar fantasia com realidade. Além disso, soube interligar a historia dos garotos a do PI. 

O legal de Em Algum Lugar nas Estrelas é a forma como ele se adéqua a todas as idades e gostos. Por ser uma leitura leve e prazerosa, tanto adultos quanto crianças poderão se aventurar juntos aos personagens. Eis um livro que irei ler para meus filhos no futuro, já que foi especial para mim. Embora se passe em uma outra época, a temática histórica, foi tratada de forma bem singela. Sendo, um tanto imperceptível em alguns momentos.

Conclusão

Em Algum Lugar nas Estrelas é uma historia gostosa de se ler. Um livro uma aventura fascinante que brinca com a realidade e fantasia. Os personagens são cativantes, e não tem como negar, o quanto adorei Early. Seu jeito de ver o mundo me fascinou, além de me fazer viajar por meio de sua narrativa sobre o PI. Fui cativada pela forma como a autora misturou a fantasia com a realidade, pois a aventura dos garotos e do PI estavam interligadas de uma maneira. Enfim, Em Alum Lugar nas Estrelas é  um livro sem restrições, uma história independente da idade você irá gostar. 

Hoje amanheceu chovendo aqui…

Resenha: A Escolha

- Livro

Olá Girafinhas. Estou com um desanimo para escrever. Não é culpa do blog, mas infelizmente ele acaba sendo prejudicado. Quando resenhei A Elite faltava pouco para terminar A Escolha, teria trago a resenha mais rápido se não fosse esse probleminha que falei.  Esse livro conseguiu fazer a pazes comigo, pois A Elite me deixou decepcionada, porém A Escolha foi bem diferente. Nessa historia, o lado que queria ver na America foi melhor aproveitado, além de fluir de uma boa maneira.

Título: A Escolha
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2014
Paginas: 352
Gênero: Quando foi sorteada para participar da Seleção, America não imaginava que chegaria tão perto da coroa – nem do coração do príncipe Maxon. Com o fim do concurso cada vez mais próximo, e as ameaças rebeldes ao palácio ainda mais devastadoras, ela se dá conta de tudo o que está em risco e do quanto precisará lutar para alcançar o futuro que deseja. America já fez sua escolha, mas ainda há muitas outras em jogo… Aspen, seu antigo namorado, terá de encarar um futuro longe dela. E Maxon precisa ter certeza dos sentimentos da garota antes de tomar a grande decisão, ou acabará escolhendo outra concorrente.

Em A Escolha, toda a indecisão de America chegara ao fim, a personagem estava mais decidida e sabia o que queria. Por conta disso, teve mais cenas em que pôde mostrar sua verdadeira essência. Alguns Rebeldes ganharam maior destaque e se tornaram umas das peças fundamentais na trama. O Rei Clarkson, estava mais odioso e não media esforços para atrapalhar nossa mocinha.  Logo não é de se estranhar que em A Escolha, o enredo tenha sido mais dinâmico, com situações que colocarão os personagens a prova.

 A amizade entre as concorrentes ficou mais forte e gostei da forma que foi desenvolvida. Aquele pequeno grupo virou uma irmandade que se ajudavam entre si. Além disso, Aspen pareceu mais compreensivo em relação a decisão de America. Deu o espaço que ela precisava e aceitou sua decisão. Agora, achei o final corrido, foi como uma chuva de acontecimentos que ficou até difícil absorver tudo de uma vez. Não, que não tenha gostado. Claro que gostei foi um final feliz, mas se tivesse sido tratado de uma forma mais lenta, teria gostado mais.

A competição estar na reta final e America estar decidida a lutar pelo seu amado. No entanto, terá de superar grandes barreiras. Além disso, enquanto um grupo de Rebelde se aliam ao príncipe Maxon e a America, outro estar com sede de sangue e de poder. A Seleção precisa terminar, será que nosso mocinhos terão o tão sonhado “Felizes para sempre?”

O que falar de A Escolha? Confesso que faz algumas horas que estou escrevendo esse post sem saber o que escrever. Dos três livros esse foi com certeza o mais dinâmico e que teve muito mais acontecimentos. Os personagens foram melhor aproveitado e o enredo teve um bom ritmo, embora tenha ficado acelerado no final. A mudança maior estar na America, pois de uma personagem indecisa e um pouco insegura, foi para uma corajosa e astuta mulher. Tendo como maior inimigo o rei da nação, teve de aprender a superar os obstáculos colocados por ele.

O rei Clarkson não mediu esforços para tentar colocar nossa mocinha em saia justa. Criou situações para provar que America não era uma boa escolha. Além de não poupa-la de humilhações quando desejado. Para seu desanimo, nem America estava disposta a abaixar cabeça nem Maxon estava disposto a ceder as vontades do pai. Logo, podemos ver o príncipe como alguém autônomo e não mais como uma marionete do rei.

Se em A Elite as concorrentes ganharam maior destaque em A Escolha não foi diferente. As poucas que restaram passaram a serem amigas e a formaram uma irmandade. Era legal ver tantas personalidades diferentes se dando bem mesmo em uma situação nem um pouco comum. Celeste teve uma boa mudança, tornando-se melhor amiga de America. Já gostava da personagem, agora gosto ainda mais. Até mesmo Elise ganhou mais falas na narrativa, sua calma e elegância, deram lugar a uma jovem que estar ali para orgulhar a família. Aspen finalmente entendeu que não habita mais o coração de America. Mostrou-se compreensivo e confesso que meu coraçãozinho sofreu um pouco. Ele conseguiu seguir em frente e queria até falar mais, porém irei acabar falando spoiler.

Um dos grupos dos Rebeldes, resolvera se aliar ao príncipe Maxon e a America, afim de tentarem acabar com as castas. Em contrapartida, outro grupo estar espalhando o medo pela região e pondo em risco a vida dos familiares das concorrentes. Seu objetivo é tomar o poder da monarquia, para fazer um regime bem mais autoritário.

O final foi um pouco corrido e como havia dito, pareceu uma chuvas de acontecimentos. Seria até mais proveitoso se tivesse sido mais devagar ou então seguido o ritmo da narrativa. Algumas coisas foram trata de forma tão rápida, coisas que poderiam dar um gostinho a mais na trama. Enfim, gostei do livro. A Seleção é uma trilogia que guardo com carinho e quero ler outros livros da série ou de mesma autoria.

Nota

Resenha: A Elite

- Livro

Olá Girafinhas. Finalmente trouxe a resenha de A Elite. Já havia terminado o livro há algumas semanas. Porém por causa do tempo nublado ficava difícil tirar uma boa foto para colocar no post. Como hoje o dia amanheceu uma beleza, aproveitei a chance para fazer a Resenha. A Seleção foi um livro que me fez amar o casal, mas a A Elite quase que destruiu o amor que tinha por ele. Dos três livros, esse foi bem sofrido para mim e estava pensando seriamente se deveria continuar a trilogia. Já digo de antemão que A Escolha estar conseguido se redimir comigo e até agora estou gostando.

Nome: A Elite
Autora: Kiera Cass
Editora:Seguinte
Ano: 2013
Paginas: 360
Gênero: Romance, Distopia, Drama
Sinopse:A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto. America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer e ela está prestes a perder sua chance de escolher.

Quando li A Elite pela primeira vez não havia ficado com tanta raiva quanto fiquei depois de ter relido. Certo que a politica de Illéa foi melhor abordada na trama. Assim como, os ataques dos rebeldes ficaram mais intensos e ganharam maior significado. Porém esse dois pontos altos não foram suficiente para encobrir a enrolação do romance. Não que esteja sendo dura com America, pois ainda gosto dela, mas sua indecisão ficou repetitiva e até cansativa. 

Havia momentos que America estava “decidida” a ficar com Maxon, assim como se mostrava arrependida e corria para os braços do Aspen. Em um certo ponto pareceu que America estava limitada a apenas isso. Entretanto, os poucos momentos em que pôde mostrar sua essência, se mostrava uma personagem forte e destemida, coisa que poderia ter sido melhor aproveitada. Como havia dito, os conflitos políticos foram melhor desenvolvido e descobrimos parte da historia de Illéa.

A Seleção agora é Elite e de 35 garotas apenas 6 restaram. America estar entre elas, porém não sabe se estar preparada para ser princesa. Para completar, Aspen seu primeiro amor que ainda não esqueceu estar no palácio como guarda real. Como a concorrência estar acirrada o romance de America e Maxon vira uma verdadeira montanha russa de emoções. Além disso, America se aventura na história de Illéa através do Diário de seu fundador. 

America foi uma personagem que dividiu minha opinião. Teve momentos que estava querendo dar tapas na personagens, assim como houve momentos que estava orgulhosa dela. Mesmo que Maxon tenha lhe garantido o seu coração, não se julgava certa para ser princesa. Além disso, não conseguia esquecer Aspen, aquele que sempre poderia contar. O problema estar ai, a indecisão da personagem se tornava repetitiva e irritava um pouco. Sei que é difícil ser sincera consigo mesma, mas a sua demora tornava as coisas mais difíceis para os três. Os momentos que America conseguia ser ela mesma, mostrava sua coragem e uma determinação nobre, dois atributos que poderia ser melhor aproveitados na trama.

Maxon perdeu parte de sua perfeição tornando-se mais humano. Além disso, sua paciência com America estava acabando, o que o levou a procurar afeto nas outras. É difícil ainda me acostumar com o fato da America ter que dividir Maxon com outras garotas, mas estou me acostumando. Enfim, em A Elite, conseguimos conhecer o outro lado do personagem, um lado mais natural. Em alguns momentos fiquei decepcionada com ele, mas tenho que admitir que o mocinho foi até que compreensivo. Além disso, é complicado para ele aguentar toda a carga de ser príncipe, fora que seu pai não é dos mais afetivos.

Como há poucas concorrentes fica mais fácil conhecer-las melhor. Mesmo assim, a Kriss foi a que ganhou mair destaque das cinco. A personagem foi motivo de querer arrancar os meus cabelos de raiva (rsrs). Uma concorrente forte, estar no mesmo nível que America, porém não consigo ir com a cara da criatura, pois é um tanto sonsa. (Pronto falei u.u). Celeste continua a mesma de sempre, mas tenho que admitir que gosto do seu jeito sincero e aberto de agir. 

Aprofundamento da história

Maxon dar a America o diário de Gregory Illéa e em meio as suas leituras acaba descobrindo a verdade. Nessa parte o livro conseguiu me conquistar, pois a autora soube explicar bem como foi a formação do país. Além disso, por meio do diário temos mais ou menos o perfil de Gregory Illéa e assim conseguimos tirar nossas conclusões sobre o personagem. As invasões dos Rebeldes ficaram mais intensas e temos uma visão melhor da diferencia entre os dois grupos. Assim como, dar uma brecha para entendemos o que se passa na cabeça dos rebeldes. 

Nota

Resenha: A Seleção

- Livro
 
Tudo bem com vocês? Ah, comigo? Sim, melhor agora! Hoje trago a Resenha de A Seleção. Muita gente julga o livro por achar que ele será mais um daqueles clichês previsíveis, tá! Confesso, tem coisas que são previsíveis, como o triangulo amoroso e o príncipe gostando logo da única menina que não queria ser princesa, mas enfim, por trás de todos esses clichês há sim uma historia interessante, por isso…Vamos dar uma chance?

Nome: A Seleção
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Ano: 2012
Paginas: 368
Nota: 9,0
Gênero: Romance e Ficção.
Sinopse: Nem todas as garotas querem ser princesas. America Singer, por exemplo, tem uma vida perfeitamente razoável, e se pudesse mudar alguma coisa nela desejaria apenas ter um pouquinho mais de dinheiro e poder revelar seu namoro secreto. Um dia, America topa se inscrever na Seleção só para agradar a mãe, certa de que não será sorteada para participar da competição em que o príncipe escolherá sua futura esposa. Mas é claro que seu nome aparece na lista das Selecionadas, e depois disso sua vida nunca mais será a mesma…

 

 

No começo pensamos que A Seleção seria mais um daqueles romances previsíveis, mas ao decorrer da trama percebemos que existe algo bem além disso, pois temos uma divisão de classes injusta e o por que não dizer, um cenário politico? Claro que, como é o primeiro livro da trilogia, temos apenas a ponta do Iceberg, sendo assim não é tão aprofundado nesse aspecto. Saindo um pouco desse lado mais serio, no reality em que as 35 ou melhor 34  participantes buscavam a atenção do príncipe, era de se esperar a rivalidade entre todas, no entanto, a Autora mostrou que é possível em meio a uma competição existir uma irmandade entre algumas das participante, haja visto que existia um ou duas que estavam focadas em acabar com a concorrência.

Além disso, não podemos esquecer o romance, pois gostei da forma que ele foi desenvolvido na trama, foi lenta e até gostosa de acompanhar. America e Maxon, começaram como amigos e até confidentes, dessa forma, não ficou aquela coisa forçada de amor a primeira vista, que muitos do gênero apresentam, pois eles se conheceram melhor antes de nascer alguma coisa entre os dois. Por ultimo, o final deixa aquela pulga atrás da orelha e ainda lembro de algumas coisinha da A Elite que me deixaram com raiva, por isso já estou me preparando para a releitura. (rsrs)

“Acho que a melhor maneira de esconder um segredo é deixá-lo descoberto”

America Singer é uma jovem de Casta 5, ou seja, faz parte das 4 inferiores. Para sobreviver sua família trabalha com áreas artísticas e sua aptidão é com a musica. A sua vida começa a mudar quando uma carta chega a sua casa, nela tinha um comunicado avisando que haverá a A Seleção – O concurso para escolher a futura esposa do príncipe, e todas as jovens de Illéa  são convidadas a se inscreverem, mas apenas uma de cada província será selecionada. A mãe de America ver nesse concurso a chance de sair da pobreza e faz de tudo para que a sua filha teimosa se inscreva. Porém todos os esforços eram inúteis, pois a jovem já tinha alguém no seu coração, um jovem de Casta 6 chamado Aspen, os dois estavam apaixonados, mas a vida difícil os impediam de casar. Depois que seu amado lhe pediu para que pelo menos se inscrevesse. America, se convence e faz a inscrição. O que ela não esperava, era que seu nome em meio as vários, foi escolhido.

America tem uma personalidade forte e é um pouco cabeça dura. No entanto, se mostrou ser  humilde e trabalhadora. Ela via a Seleção como algo ruim, uma especie de prisão, mas para ela isso era melhor do que ter que encarar Aspen, aquele que quebrou seu coração antes dela partir. Na sua primeira noite no palácio,  teve uma especie de ataque de panico e tentou sair para o jardim, mas foi impedida pelos guardas. Sua salvação foi um homem de voz autoritária que pediu lhe deixassem sair. Ainda cabalando consegue chegar a um banco e se senta, ao lado dela, estar o príncipe Maxon, um rapaz calmo e que nem mesmo a raiva de America conseguiu irrita-lo, pelo contrário fez com que ele tentasse ajudar a jovem. Os dois então viram amigos e America ficaria na competição como uma especie de conselheira até que ela se recupere do seu coração partido.

Antes de conhecer o príncipe, para a nossa mocinha, ele era um rapaz rigido e um pouco entediante, mas ao conhecer-lo melhor, percebeu que por baixo de toda aquela perfeição, tinha uma pessoa normal que via na seleção uma maneira de encontrar uma companhia, fora que ele era bem humorado e ótimo ouvinte. Já Aspen, o que dizer dele? Amava America, mas deixou que seu orgulho separasse os dois, preferiu perder a amada a ter que se inferior a ela. Confesso que senti muita raiva dele, mas não posso esquecer que ele tinha preocupação em relação a ela, não queria que ver-la passar pela mesma situação que sua família.

Como eram 35 participantes, poucas tiveram destaque na trama, por isso vou falar apenas de algumas. Marlee é de Casta 4, uma jovem energética e cativante que logo que cara se torna melhor amiga de America, as duas se ajudam mutuamente. Celeste uma jovem sedutora de Casta 2 que é uma verdadeira vaca e não irá poupar esforços para destruir a concorrência. Kris é uma jovem elegante e bonita, mas não tenho uma boa imagem sobre ela.

Enfim, a Seleção é um bom livro para quem gosta de historias com temática futurísticas e de um romance lento e gostoso de se ler. Ele consegue prender sua atenção ao ponto de assim que terminar ir direto para o segundo. Porém já vou logo avisando que se estiver saturado de historias do gênero, pode ser difícil gostar, mesmo assim não custa nada dar um chance, vai?

Wishlist Literária – Janeiro

- Livro, Whislist

Olá Assimétricos, como vocês estão? Hoje passei o dia relendo A Seleção e logo, logo trago uma resenha para vocês, mas por enquanto trouxe a minha Wishlist Literária. Alguns livros conheci recentemente, outros já estão na minha lista há muuuito tempo. Espero que em 2017 possa lê-los finalmente. Caso você tenha lido algum, adoraria saber o que acharam do livro, ok? Ah, a fonte que estou usando na imagem acima, vi no post do blog Babee e lá está cheio de fontes legais e dois layouts para baixar, se quiser ver-las aperte Aqui.

 

 
Blade Runner –  Androides Sonham com Ovelhas Elétricas: A primeira coisa que me atraiu foi o título bem incomum, depois foi a sinopse que me deixou ainda mais curiosa para ler. Fora que adoro livros de ficção e ouvi muitos elogios dirigidos a essa obra. Sei que tem um filme, mas ainda não assisti, porém está na lista e talvez aumente mais ainda minha vontade de ler. Mais Informação
 
Eu Sei O que Você Está Pensando: Eu fui um pouco jumenta, pois comprei os dois últimos livros da Saga sobre o Detetive David Gurney em vez de ter comprado pela ordem. Embora os livros tratem de casos diferentes, ainda assim, quero ler a saga completa, pois adorei Não Brinque com o Fogo e Peter Pan tem que Morrer. A escrita do autor te prende até o fim, lembro de que quando li um de seus livros, fiquei horas e horas pensando sobre quem era o verdadeiro culpado e começava a criar várias teorias que no final estavam todas erradas, logo terminava sempre surpreendida, por isso acredito que Eu Sei O que Você está Pensando terá a mesma formula característica de Jonh Verdon que tanto gosto. Mais Informação
 
Laranja Mecânica: Esse livro está há seculos na minha lista e esse ano vou fazer de tudo para ler-lo. Além de ser um clássico, possui uma historia interessante que é de deixar qualquer um curioso, fora que já ouvi vários elogios desta obra. Mais Informação
 
O Quarto: Eu assisti o filme que é baseado nesse livro e ele é um dos meus favoritos. A historia é narrada com a pureza de uma criança e embora toque em um assunto um pouco pesado, ainda sim, se equilibra por conta da inocência do narrador. Jack é um personagem cativante e por isso quero matar a saudade dele lendo o livro. Mais Informação
 
 
 
 
Em Algum Lugar nas Estrelas: Nem precisa dizer que foi amor a primeira vista, né? Além disso, quando conferi a sinopse, ai que o amor se tornou mais forte. Esse livro tem um personagem, Early Auden, que possui Síndrome de Asperger, uma forma branda de autismo. Sabe eu tenho um certo interesse por esse transtorno, não sei explicar o porque disso, mas tenho um verdadeiro fascínio por historias que aborda o Autismo. Ah não posso esquece que a narrativa se passa na Segunda Guerra Mundial e como já havia dito antes, adoro o gênero de época. Mais Informação
 
O Orfanato da Srt. Peregrine para Crianças Peculiares: Como havia colocado na Resenha que fiz do filme, tenho vontade de ler o livro. Sei, sei, que o Tim Burton mudou a historia, mas isso não quer dizer que não irei gostar dele também. Além disso, soube que o livro estar cheio de ilustrações e não vejo a hora de conferi. Mais Informação
 
Ele Está de Volta: Assisti o filme baseado nessa obra e fiquei bem curiosa para ler o livro. Confesso que o final  foi meio que perturbador, até porque ele pode ser possível. É um livro que fala sobre politica e ao mesmo tempo tem humor, a história é bem bolada e trás uma reflexão. Será que Hitler ainda teria influencia nos dias de hoje? Mais Informação
 
O Menino que Desenhava Monstro: Mais uma historia com um personagem Autista, no entanto, não é apenas isso que me atraiu para a trama. É um livro de terror cheio de mistérios e que tem uma história promissora, o conheci pela resenha do Eu Insisto e embora a blogueira tenha dito que o final não foi do nível da leitura, ainda sim elogiou a obra e por confiar na suas resenhas, fiquei bastante curiosa para ver-lo. Mais Informação
 
 
 

Encarcerados – Fuga de Furnace: A capa é de chamar atenção, logo assim que vi fui correndo procurar sobre o enredo e não preciso dizer que fiquei bem empolgada ou preciso? O história tem uma pegada obscura de mistério e sobrevivência, por isso espero que seja um daqueles livros que você começa a ler e não larga até terminar. Mais informação.Precisamos Falar Sobre o Kevin: Já faz um longo tempo que esse livro estar na minha lista, mas como ainda não consegui ter a graça de ler, resolvi ver o filme antes e vou te dizer que aquela vontade de ler dobrou. A historia é bem interessante e incomum, além de ter um personagem que desde novo apresenta sinais de psicopatia. Mais Informação

Prodigy: Li Legend em 2014, ou seja, Prodigy está na lista há 3 anos. Não me levem a mal, é que sempre aparece algum outro livro que eu queria mais, para ser sincera o primeiro é bom, porém não conseguiu me deixar ansiosa pelo segundo, mas como quero terminar essa trilogia, tenho fé que  vou  consegui ler esse ano.Mais Informação

O Restaurante no Fim do Universo: Fiz uma resenha recentemente do O Guia do Mochileiro das Galáxias, como disse lá, o primeiro livro é um dos meus favoritos, logo já é de se esperar que eu esteja louquinha para ler o resto dos livros. Douglas Adams tem um humor inteligente e críticas afiadas contra a sociedade, logo suas narrativas são engraçadas e ao mesmo tempo te faz refletir um pouco. Mais Informação

Chegamos ao fim, se você já leu algum ou ficou curioso para ler, não deixe de expressar sua opinião, vou adorar ver seu comentário.