Browsing Category

Serie

Resenha: Atypical

. 13 Comentários .

Olá, Girafinhas

 

Hoje tive uma grande surpresa da Netflix quando vi o lançamento de Atypical, confesso que não estava esperando. Parece que finalmente as pessoas estão abrindo mais os olhos para o Autismo e isso me deixa bastante feliz, já que sou fascinada por esse transtorno. A série e tão rápida e divertida que a assisti em uma tarde, assim como me deixou com um gostinho de quero mais.

View full post

Resenha: Las Chicas del Cable

. 3 Comentários .

Olá Girafinhas

Como vocês estão? Essa semana devorei a série Las Chicas del Cable, aqueles 8 episódios passaram voando e não vejo a hora de uma continuação. Precisava assistir algo diferente do que estou acostumada e acabou que ela caiu como uma luva. Confesso que fui atraída pelo visual Vintage e como meu amor por produções de época não é nenhum segredo, foi fácil cai nos encantos dessa série.

View full post

Resenha: The Sound Of Your Heart

. 1 Comentários .

Olá Girafinhas

Hoje venho trazer um post programado, como é a primeira vez, não sei se irá dar certo, mas se você estar lendo agora… Enfim, trago a resenha de The Sound of Your Heart, uma Série ou um Dorama (como preferirem) da Netflix. Claro que a Girafa Suprema, Lee Kwang Soo foi responsável por me fazer começar essa produção e tenho que admitir que ri para caramba.

View full post

Resenha: 13 Reasons Why / Os 13 Porquês

. 1 Comentários .

Olá, Girafinhas do meu coração.

Ontem terminei 13 Reasons Why ou levando para o nosso português Os Treze Porquês. Fazia um certo tempo que queria ler o livro em que a serie foi baseada, mas ele acabou morfando na minha Whislist. Com a estreia da serie, resolvi matar minha curiosidade em relação a historia e na primeira oportunidade comecei a assistir. Sabe, da mesma forma que enrolei para começar a serie, já que sabia que tinha um toque pesado, estou excitando para fazer a resenha. Pois ela mexeu comigo de uma forma que ainda estou organizando os sentimentos.

Nome: 13 Reasons Why
Criador: Brian Yorkey
Ano: 2017
País: EUA
Gênero: Drama
Episódios: 13
Sinopse: Uma caixa de sapatos é enviada para Clay (Dylan Minnette) por Hannah (Katheriine Langford), sua amiga e paixão platônica secreta de escola. O jovem se surpreende ao ver o remetente, pois Hannah acabara de se suicidar. Dentro da caixa, há várias fitas cassete, onde a jovem lista os 13 motivos que a levaram a interromper sua vida – além de instruções para elas serem passadas entre os demais envolvidos.

Você já deve ter ouvido falar nessa serie e até mesmo escultado alguns spoilers. A verdade é que, 13 Reasons Why caiu nas graças do público e não foi em vão.  Um dos motivos que me levou a dar uma conferida na produção, foi a premissa de tentar mostrar o lado de um suicida.  Sempre tive a curiosidade de entender o que se passa pela cabeça de um e a serie em parte conseguiu cumpri com seu objetivo. A trama tem um clima pesado e aborda sem rodeios assuntos, um tanto, polêmicos. 

Tenho um certo receio em relação às series Teen americanas, por achar o pessoal um tanto idiota.  Em 13 Reasons Why , tinha sim, personagens imbecis, mas isso não afetou na minha opinião sobre ela. Posso não ter morrido de amores pela trama, mas não posso negar o quanto fiquei envolvida com ela. Além disso, a historia tenta mostrar, como o Bullying acompanhado de uma neglicencia dos responsáveis ocasiona cicatrizes na vítima. Assim como, o suicídio afeta a vida dos familiares e colegas. 

Resultado de imagem para 13 reason why gifs

Clay Jense é um jovem reservado que recebe como encomenda algumas fitas. Ao escutar uma, ele se depara com a voz de Hannah Baker, uma colega que havia cometido suicídio. Na primeira fita, ela dita as regras e diz que as pessoas que as receberem fazem parte dos motivos que a fizeram cometer tal ato. Mesmo com receio de se machucar, Clay começa a escutar as fitas e se depara com a dolorosa historia de Hannah Baker.

No começo, cheguei a cogitar que os motivos seriam um tanto fúteis, porém a cada fita, pude senti como as coisas estavam ficando sufocantes para a personagem. Por isso, antes de julga-la, coloque-se no lugar dela, ok? Hannah vai narrando sua historia desde do primeiro dia de aula em uma escola nova até seus últimos dias nela. Nas fitas, a garota expressa seus sentimentos e a forma como cada pessoa a feriu e a magoou. Assim como, as fitas possuem segredos que todos querem ocultar-los. 

Resultado de imagem para 13 reason why gifs

Hannah é uma jovem comum, que tinha um humor afiado e procurava se dar bem com os outros. Infelizmente, por causa dos boatos envolvendo-a, passou a ser mau vista na escola e os seus poucos amigos, com o tempo foram dando as costas e até mesmo protagonizaram outros boatos. Até ai, a garota, continuou vivendo e tentando se adaptar ao inferno chamado ensino médio. Porém quanto mais tentava se encaixar e fazer uma nova amizade, mais acabava se ferindo. Não vou dizer que Hannah é ilesa de culpa, pois da mesma forma que era ferida, feria os outros. Mas não posso negar, que a garota, se esforçava para se dar bem com os demais. Além de, se manter otimista em relação as pessoas, entretanto, com o tempo sua vida foi ficando vazia e por não ter apoio, tudo perdeu o sentido. 

Resultado de imagem para 13 reason why gifs

Clay dividiu minha opinião, por um lado gostei dele, por outro estava preste a esgana-lo. Ele realmente gostava dela, porém não fez nada para ajudar-la. Não que a tenha ignorado, só não percebeu que ela precisava de ajuda. Com a vinda das fitas, resolverá se “vingar” dos porquês e tentar fazer justiça. Porém, não será tarefa fácil, já que seus colegas não estão dispostos a encararem seus erros. Além disso, ficamos tentando imaginar, qual motivo estar relacionado a ele e da mesma forma que o personagem se questiona, nos questionamos. 

Os Porquês

Resultado de imagem para 13 reason why gifs Resultado de imagem para 13 reason why gifs

Adoraria falar sobre Os Porquês separadamente e dizer o quanto os odieis ou que consegui entender o lado de alguns. Entretanto, isso iria estragar o clima da trama e a deixaria um tanto sem graça. Logo, irei só dar um comentário geral e um tanto vago sobre os motivos da Hannah. Cada personagem foi responsável, por matar um lado da principal até deixa-la vazia por dentro. Sendo que, tudo que Hannah queria era um amigo, alguém que pudesse contar, porém essas pessoas não estavam disposta a lhe dar a mão. A cada episodio, um deles é apresentado e por meio de cenas intercaladas, podemos ver o que aconteceu no passado/ como o personagem estar atualmente e a maneira que ele encara a situação. Por fim, nem precisa falar, que Os Porquês, irão se juntar para tentar calar o Clay ou precisa?

Atuação

Resultado de imagem para 13 reason why gifs

Mesmo se tratando de um cenário pesado que exigi muito dos atores, o elenco conseguiu conduzi bem as emoções dos personagens. Toda aquela carga emocional foi passada para o telespectador e pude senti a dor deles. Tenho que dar destaque, além de Hannah e Jess, para os pais da principal. Atuaram com maestria e mostraram como o suicídio afeta a família.

Conclusão

13 Reasons Why, causou polêmica em meios aos especialistas em psicologias, pois eles não a recomendam. Mesmo concordando que tem cenas pesadas e que pessoas sensíveis devem evitar. Acredito, que a serie trata de uma assunto serio e que sim, eu recomendo para aqueles que quiserem conhecer o lado de um suicida. Até porque, muitos adoram dizer que depressão e  suicídio é tudo “besteira”, mas nunca se colocaram no lugar do paciente.  Enfim, o final ficou em aberto, dando brecha para uma segunda temporada, creio eu, que da segunda temporada não irá passar. 

Nota 

 

Resenha: Dirk Gently’s – 1° Temporada

. 0 Comentários .

Depois que terminei Stranger Thigs, fui correndo conferi a segunda serie da lista que no caso era a Dirk Gently’s. Como dar para saber sou fã de Douglas Adams e quando descobri que fizeram uma serie baseada em uma de suas obras, fiquei simplesmente louca para assistir. É um pouco difícil imaginar as historias desse autor sendo adaptadas para serie, pois possuem enredos tão loucos, mas não sei como,  Dirk Gently conseguiu fazer esse feito e ela com certeza se tornou uma das minhas favoritas.

Nome: Dirk Gently
País: EUA
Ano: 2016
Duração: 60 min
Status: Renovada
Gênero: Comédia, Mistério, Policial
Sinopse: Um caso misterioso leva o jovem Todd a ser o assistente de um detetive excêntrico que se utilizará de métodos não convencionais para desvendar crimes.

Dirk Gently é tão sem sentido que tudo acaba fazendo sentido. Calma! Posso explicar, no começo o enredo é um tanto maluco, mas ao decorrer da trama, percebemos que tudo é necessário. A serie soube misturar bem o mistério policial e a comédia, conseguindo um bom equilibro e confesso que ao mesmo tempo que dava boas risadas ficava curiosa para saber como aquilo tudo iria se desenrolar.

Os personagens são bem característicos de Douglas Adams, cada um tem sua peculiaridade e seu carisma. Todd me lembrou um pouco de Arthur do Guia do Mochileiro das Galaxias, pois ambos tinham uma vida normal, mas que mudou drasticamente da noite por dia.  Além disso, existiam situações paralelas que logo estavam interligada. Um das coisas que gostei, é que embora o foco esteja na dupla Dirk Gently’s e Todd, os outros personagens foram muito bem aproveitados, cada um tinha sua historia e seu momento de “brilhar”.

A historia começa quando Todd um cara comum, com uma vida chata e sem muitos acontecimentos, parece ter acordado de pé esquerdo em uma manhã um pouco fora do normal. O proprietário do prédio onde mora, aparece um tantinho estérico a procura do aluguel atrasado. Já no seu trabalho é o primeiro a encontrar a cena de um assassinato bizarro, o que o leva a ficada na mira da policia e por consequência desempregado. Para completar, um cara estranho entra pela sua janela e diz ser um detetive holístico que o quer como assistente para resolver um caso de assassinato e sequestro.

Como havia dito Todd lembra um pouco Arthur, mas não apenas pelo fato da vida de ambos mudaram de um dia para o outro, pois assim como o personagem do Guia do Mochileiro das Galáxias, Todd é inseguro e até preocupado demais, essa nova expectativa de vida, meio que serviu para que ele se soltasse mais. Além disso, ele vive cuidando de sua irmã, Amanda, que sofre de Pararibulitis (Iei falar mais na parte dela), e é legal a relação de irmãos entre os dois.

 

 

 

Dirk Gently’s o que falar dessa personalidade curiosa? Pois bem, ele foi contratado para resolver o assassinato que ocorreu no hotel onde Todd trabalho, o mais curioso é que quem o contratou foi a própria vitima, Patrick Spring. Ele é um detetive Holístico, ou seja, não procura pistas ou impressões digitais, coisa que os detetives comuns fazem, na verdade ele resolve casos por meio da interconectividade das coisas. Sendo assim, ele precisa da ajuda de Todd, pois usaram a chave mestre dele para invadir o quarto em que o crime aconteceu. Ele é aquela tipica pessoa que é otimista e estar alegre o tempo todo, um doidinho que as vezes é irritante e as vezes o queremos por perto.

 

A filha de  Patrick, Lydia Spring, foi sequestrada e tudo indica que os sequestradores foram os mesmos que mataram o seu pai. Ela tinha uma guarda costa chamada Farah, que depois de fugir dos vilões, se uni a Dirk Gently’s e a Todd. Uma personagem bem forte e independente, era inteligente e foi bem útil na resolução do mistério. Além dela, temos Amanda, irmã de Todd. Como havia dito ela tem uma doença que a faz sentir sensação irreais, como ter as mãos pegando fogo do nada ou achar que estar debaixo d’água e começar a se afogar. Ela acaba se envolvendo com um grupo de punk’s, que se alimentam do medo e dessa forma lhe ajudam com a doença.

Por ultimo e não menos importante, temos uma dupla um pouco incomum. Bart é uma assassina holística, ou seja, da mesma forma que Dirk Gently’s, ela trabalha seguindo a interconectividade do universo, além disso ela não pode se machucar. Depois de sonhar com o nome de Dirk Gently’s, ela passa a procura-lo, mas em vez de encontrar seu alvo, encontra Ken, um eletricista comum que acaba sendo obrigado a se junta a Bart. Gostei do dois, Bart é muito carismática, o problema era saber para quem torcer, porque convenhamos não é fácil ter que escolher entre ela e o Dirk. Já o Ken era o que tentava acalmar o espirito assassino de Bart e os dois acabam criando uma amizade.

 

Adoraria falar sobre todos os personagens, mas o post ficaria enorme, por isso espero que quando forem assisti gostem deles tanto quanto eu gostei.

Conclusão
 
Em meio a tantas series policiais que são lançadas uma atrás da outra, Dirk Gently’s se diferencia por trazer humor, além de um enredo inconvencional. Porém não se deve subestimar o mistério por conta dessa nova abordavam, pois temos sim, um roteiro envolvente e nos deixa cada vez mais curioso. A historia pode parecer maluco no começo e até ter aquela impressão de comedia pastelão, porém isso não passa de impressão mesmo, haja visto que no decorrer da trama tudo vai ganhando forma e você percebe que toda aquela bagunça do primeiro episodio fazia sentido o tempo todo. Por fim, por ter poucos episódios é fácil devora-la em uma maratona, além de deixar com aquela vontade de quero mais.
 
 
 
 
 

 

Resenha: Stranger Things – 1° Temporada.

. 0 Comentários .
 


Já  faz um bom tempo que terminei Stranger Things e infelizmente só consegui trazer a resenha  agora. Sabe, tinha dado um tempo para as series, mas como estou de “férias”, decidi conferi algumas e aos poucos estão entrando nesse mundo sem volta, ou seja, mas um vicio para minha lista. Como havia visto muitos posts falando sobre essa serie, acabei colocando-a no topo da lista, mas confesso que não esperava devora-la de uma só vez. 

 
 

 

Nome: Stranger Things
País: EUA
Ano: 2016
Duração: 55 min
Status: Renovada
Gênero: Suspense, Drama e Fantasia
Sinopse: Ambientada em Montauk, Long Island, conta a história de um garoto que desaparece misteriosamente. Enquanto a polícia, a família e os amigos procuram respostas, eles acabam mergulhando em um extraordinário mistério, envolvendo um experimento secreto do governo, forças sobrenaturais e uma garotinha muito, muito estranha.

 
 
Stranger Things se passa nos anos 80 e por mais que não tenha nascido nesse ano, ela conseguiu passar aquele ar nostálgico. Além disso, amei as várias referencias da cultura pop retratada na série, as vezes sentia aquela mesma sensação de está vendo alguma produção do Steven Spielberg (Meu segundo diretor favorito) e isso foi especial, porque trouxe a mesma magia de quando assitia E.T- Extraterrestre. Focando na história da serie, o roteiro foi bem produzido, cada capitulo era válido e era quase que impossível  terminar um episodio e não ir para o próximo.
 
Gostei do elenco, principalmente as crianças, pois a atuação deles foi natural e isso deu realidade a historia. Devo dar destaque a Millie Bobby, que interpretou Eleven, pois sua personagem é complexa e ela conseguiu interpreta-la perfeitamente. Outra coisa que devo acrescentar, é que pelo fato de ter poucos capítulos, facilita na hora de fazer maratona, pois convenhamos, você irá fazer.
 
Em uma cidade pacata, um garoto chamado Will desaparece ou melhor dizendo, é levado por uma criatura de outra dimensão. Seus amigos, Mike, Dustin e Lucas vão em sua procura, mas acabam encontrando uma garota um pouco estranha que se chama Eleven. Logo, a cidade até então calma, começa a ser cenário de vários acontecimentos sobrenaturais.
 
Primeiro vou falar dos garotos, porque vamos ter que concordar que eles deram o ar da graça na trama. Mike é de uma família um pouco protetora, mas que saía as escondidas para poder ir atrás do amigo desaparecido. Ele é um bom amigo e me pareceu até maduro para sua idade,  sem falar que era fofo o jeito que ele cuidava da Eleven. Dustin é aquele gordinho simpático que todo mundo quer como amigo, mesmo sendo um pouco medroso, conseguiu controlar o medo, mesmo com todas aquelas coisas bizarra que acontecia. Lucas foi o mais racionar do trio, pode até ter parecido chato as vezes, mas acredito que ele era só pé no chão.
 
Deixei para falar de Eleven sozinha. Pois bem, quando o trio estava na floresta atrás de Will, eles acabaram a encontrando e a levaram para casa do Mike. A garota tinha fugido de um laboratório e parado em uma lanchonete, mas acabou sendo encontrada e teve que sair de lá também, sua sorte foi se deparar com o grupo e assim se sentir mais segura e até mesmo mais normal. Eleven não teve uma infância muito agradável, pois é tratada como um experimento e seu “pai” vive fazendo testes com a garota, pois ela consegue mexer coisas com a mente e fazer outras coisinhas mais. Achei a personagem bem complexa e a atriz conseguiu conduzir bem todas as cenas.
 
Joyce, mãe de Will, foi a mais afetada com o sumiço de seu filho. Quando quase todo mundo perdeu as esperanças, ela continuou acreditando que seu filho estava vivo e mais perto do que todos imaginam. Passou a se vista como louca, quando acreditava  se comunicar com o Will por meio das luzes de casa, até mesmo seu filho mais velho demorou a acreditar na sanidade da mãe. A personagem foi uma verdadeira mãe, não média esforços para poder encontrar seu filho e mesmo que todos achassem que estava louca, continuou ativa e sem fraquejar. A atuação da atriz estava excelente ela conseguia passar todo aquela angustia que Joyce estava sentido
 
 
Nancy é irmã de Mike e é um pouco distante de seu irmão. No começo era igual a todo mundo, mas depois que sua amiga Barbara desaparece, ela começa a acreditar que os dois desaparecimento estão inter-ligado. Ela se uni a Jonathan, irmão de Will, e os dois vão a caçada de uma criatura que Nancy viu um dia depois do sumiço de Barbara, a qual ela acredita ser a responsável pelos desaparecimentos. Nancy é uma garota certinha, por causa de seu novo namorado passou a ter más companhias e por isso acabou deixando de lado sua melhor amiga, até que abriu os olhos assim que Barbara desapareceu. Já Jonathan é tido como esquisito da escola, ele tinha uma boa relação com o irmão mais novo e as vezes se sentia culpado pelo ocorrido. Ele foi o ultimo a ver Barbara e numa fotografia que havia tirado apareceu a sombra de uma especie de criatura.
 
Hopper é o xerife da cidade e estava acostumado a casos pequenos, quando ocorre o desaparecimento de Will, no começo acreditava que era um caso comum de desaparecimento, mas depois que começou a investigar o caso, percebeu que era algo bem diferente do normal. Queria que todos os policias daqui tivessem a mesma determinação que o Hopper, pois mesmo com todas as limitações, ele continuou no caso e ajudou Joyce na procura pelo filho.
 
Conclusão
 
Sranger Things merece todos os elogios que recebeu dos fãs. Possui um mistério envolvente, além de trazer aquela sensação nostálgica com suas referencias a cultura pop. Cada capitulo foi bem construído sem deixar nenhum ponto sem nó, fora que ficamos curiosos para assistir a Segunda Temporada.
 
 

Imagens retiradas do Tumblr e Giphy